Santos pode renovar contrato de Léo amanhã

O Santos espera fazer um novo contrato com Léo amanhã. Desde hoje, o lateral-esquerdo é dono dos direitos federativos e está livre para se transferir para onde quiser, mas, de acordo com as informações dos dirigentes do clube da Vila Belmiro, na semana passada o atleta já acertou, por telefone, as bases do contrato, restando apenas a assinatura. Léo passou o reveillon em Angra dos Reis, e deve voltar para Santos amanhã. Pouco antes de entrar em férias, após o último jogo do Santos pelo Campeonato Brasileiro do ano passado, dia 14 de dezembro, contra o Vasco da Gama, em São Januário, Léo deu entrevistas afirmando que estava cansado de fazer concessões nas renovações de contrato e que agora iria exigir uma recompensa por tudo o que deixou de ganhar nos três anos de clube. Também garantiu que tinha propostas de um clube espanhol e outras de brasileiros. A maior queixa de Léo é que, embora seja considerado um dos melhores laterais que passou pela Vila Belmiro nos últimos tempos, e ser uma das referências do time, o seu salário - R$ 50 mil mensais - é inferior ao de pelo menos cinco titulares e até do reserva Rubens Cardoso, que ganha R$ 60 mil. Para repor as perdas, Léo disse que exigiria o pagamento de uma importância à vista, como luvas, além de passar a receber o teto do clube, que é de R$ 80 mil. "Está tudo bem encaminhado e Léo deve assinar na sexta-feira. De um a cem, acredito que as possibilidades de o jogador permanecer no Santos são de 95%", disse o diretor de futebol, Francisco Lopes, num tipo de declaração semelhante à do presidente do clube, Marcelo Teixeira, em relação a Fábio Costa, na antevéspera de o goleiro acertar com o Corinthians. Desde que entrou em férias, Léo se manteve em silêncio. Há comentários de que ele teria uma proposta do São Paulo e que se o Santos continuar se recusando a pagar luvas, para não sair de sua política salarial, seu destino será o Morumbi. Talvez por isso, o técnico Leão insista com a diretoria quanto a necessidade da contratação de um lateral, mesmo depois do acerto com Paulo César - joga na direita e na esquerda -, argumentando que não sabe como se encontra o ex-jogador do Paris Saint-Germain. Em relação a Renato, a posição do clube é de expectativa. O que torna improvável a permanência do volante é que o seu salário já ultrapassava o teto de R$ 80 mil antes que ele se tornasse titular da Seleção Brasileira. A exemplo de Léo, desde a meia-noite do dia 31 de dezembro, ele deixou de ser jogador do Santos e pode ser contratado pelo Bayern de Munique. Cruzeiro, de Belo Horizonte, e São Paulo também teriam feito propostas a Renato. A esperança dos dirigentes é de que a proposta alemã não se confirme e que o jogador opte pelo Santos, conforme teria prometido, caso não surja a oportunidade de uma transferência para o exterior. Os dirigentes santistas estão esperando Velloso encerrar as negociações com o Atlético-MG para depois apresentarem uma proposta ao goleiro. O seu contrato com o clube mineiro terminou no dia 31 passado e não houve acordo para renovação na primeira tentativa. Velloso pede salário de R$ 90 mil e quer acertar por mais um ano, enquanto o Atlético oferece R$ 70 mil e propõe um contrato de dois anos. Mesmo considerando Júlio Sérgio em condições de ser o novo titular do gol do Santos, Leão pediu a contratação de Velloso para poder contar com um goleiro experiente para os jogos da Copa Libertadores da América.

Agencia Estado,

01 de janeiro de 2004 | 16h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.