Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Santos pode ter até quatro mudanças contra o Palmeiras

Classificados para a próxima fase, clubes fazem briga direta por liderança na tabela geral

Sanches Filho, Agência Estado

17 de março de 2014 | 18h29

SANTOS - O Santos pode ter até quatro mudanças para enfrentar o Palmeiras domingo à tarde, na Vila Belmiro, no clássico que vai apontar o melhor time da fase de classificação do Campeonato Paulista. Por enquanto, duas já estão garantidas: os retornos de Neto na zaga, com a saída de David Braz, e de Thiago Ribeiro ao ataque, no lugar de Rildo ou de Gabriel. Outras duas quase certas são as trocas de Vladimir por Aranha e de Émerson Palmieri pelo chileno Eugênio Mena. O goleiro se recupera de lesão no ombro e o lateral-esquerdo de dores no músculo profundo do abdômen e vão ser reavaliados na reapresentação do time, nesta terça à tarde, no CT Rei Pelé.

Oswaldo de Oliveira não vai se limitar a mexer na equipe. Assustado com a falta de cobertura para as descidas ao ataque de Cicinho e Émerson Palmieri ele vai cobrar dos garotos que participem mais da marcação e não pensem apenas em fazer gol. Também vai dar treinamentos técnicos quarta, quinta e sexta para corrigir as falhas defensivas.

Se perceber que as conversas e os treinos não resolveram, Oswaldo poderá cumprir a ameaça de trocar um jogador de frente por um volante de marcação, que tanto poderá ser Alan Santos como Alison, saindo do esquema 4-2-3-1 para o 4-4-2, com Alison (ou Alan Santos), Arouca, Cícero e Thiago Ribeiro no meio e Geuvânio, que tem sido o melhor do time, ao lado de Leandro Damião na frente.

O que o treinador santista vem perseguindo é o equilíbrio do time que se destaca pela força do seu ataque, com 37 gols marcados (média de 2,64 por jogo), e por erros defensivos, que já o levaram a sofrer 15 (mais de um por partida). Só contra o Penapolense e Rio Claro foram sete gols sofridos, além de mais dois na goleada de cinco que enfiou no Mogi.

TORÇÃO

Leandro Damião sofreu entorse no tornozelo direito e teve de ser substituído aos 32 minutos do segundo tempo do jogo em Rio Claro, mas deve se recuperar a tempo participar do clássico contra o Palmeiras. "Não foi nada grave e acho que dá para tratar em dois ou três dias", disse o atacante.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato PaulistaSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.