Santos preocupado com ?salto alto?

Os jogadores do Santos sabem que não podem entrar de salto alto na partida de domingo, contra o Grêmio, mesmo com o time gaúcho já rebaixado. "Não vamos encontrar facilidade, de forma alguma, e estamos conscientes de que não podemos perder mais pontos", disse Preto Casagrande, que cumpriu os três jogos de suspensão e está liberado para essa partida.Ele ainda não sabe se Luxemburgo irá escalá-lo desde o início do jogo, mas estava feliz com a possibilidade de voltar a jogar. "Não agüentava mais ficar treinando sabendo que não iria atuar. É a pior coisa que pode acontecer a um jogador", comentou, dizendo que está muito motivado para esse regresso. Preto Casagrande acha que, mesmo com as adversidades que o adversário passou, representa um risco para o Santos."É possível que haja mudança no Grêmio e, quando isso ocorre, dificulta um pouco no início. Por isso, temos de impor o ritmo de um time que pretende ser campeão". O zagueiro Ávalos concorda com Preto Casagrande. "O Grêmio empatou com o Atlético-PR, mesmo rebaixado, e é sempre um time perigoso. Além disso, eles irão jogar sem a responsabilidade de fazer o resultado, livres da pressão do rebaixamento, e isso pode ser um ponto positivo para eles e que nos faz ficar atentos".O lateral-direito Paulo César espera encontrar um adversário motivado, mesmo com todos os problemas que foram vividos nesse campeonato. "Eles cairam para a segunda divisão, mas o grupo é bom e já demonstrou isso e precisamos ter a maior atenção possível". O volante Fabinho concorda: "os adversários vão estar querendo mostrar que têm condição de permanecer no Grêmio ou em outra equipe e o Santos tem de fazer o jogo ser fácil, entrando em campo para decidir a partida".Em relação aos desfalques do time (André Luís, Antônio Carlos, William, suspensos, Elano, contundido e Robinho, com problemas familiares), Paulo César acha que é um problema superável. "São grandes jogadores, mas os jovens que irão substituí-los vão suprir bem a ausência deles para que a gente consiga uma boa vitória", disse o lateral.Preto Casagrande pensa da mesma maneira: "o Santos vem mudando a cada jogo, dificilmente uma mesma formação se repete numa seqüência de jogos, mas sempre entra em campo com um grupo forte, em condição de vencer as partidas".JOGO FORA - A interdição da Vila Belmiro está levando o jogo contra o Grêmio para São José do Rio Preto e isso já não preocupa os santistas."Temos sido bem recebidos pelos torcedores no interior e isso tem ajudado a conseguir os bons resultados como se estivéssemos na Vila", disse o lateral-direito Paulo César, que brincou: "vamos entranhar um pouco quando voltarmos a jogar em casa, porque já faz muito tempo que não fazemos isso".Fabinho lembrou que os jogos do Santos fora da Vila Belmiro tem atraído um grande público. "Já jogamos em São José do Rio Preto, o torcedor compareceu e ajudou o time o tempo inteiro". E a vitória, ressalta, é o único resultado que interessa ao seu time. "Deixamos escapar a oportunidade de voltar à liderança no jogo contra o Paysandu, em que tivemos várias chances de vencer", disse ele, lembrando que "o Atlético tropeçou e só dependia da gente ser lider novamente. Por isso, temos de fazer a nossa parte porque o time tem chances de ser campeão e somente os três pontos interessam oara nós".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.