Santos quer aproveitar desespero do Grêmio

Ao contrário da maioria dos times queenfrentam o Santos na Vila Belmiro, o Grêmio não poderá se valerdas pequenas dimensões do campo para armar uma retranca eesperar as oportunidades de gols nos contra-ataques. O timegaúcho precisa vencer de qualquer maneira para fugir dorebaixamento. E o Santos quer se aproveitar disso. Mesmo semElano e Fabiano, suspensos, o técnico Emerson Leão armou seutime de forma bem ofensiva, com Douglas e William compondo oataque com Robinho. Perder ou ganhar em nada muda a posição do Santos nocampeonato, mas Leão não quer voltar a sentir o que chama degosto amargo da derrota neste Brasileiro. Por isso, conversoubastante com seus jogadores, procurando motivá-los para anecessidade de terminar o campeonato com o maior número possívelde vitórias. "O Santos só sabe jogar para vencer e se arrisca,mas por isso também faz tantos gols." Enfrentar um adversário no desespero, segundo o zagueiro AndréLuís, exige muita tranqüilidade dentro de campo. "O Grêmio nempode pensar num empate, quanto mais numa derrota. Vão partirpara cima e temos que ter calma, administrar o jogo e fazernosso gol logo que der, para complicar ainda mais a situaçãodeles e facilitar nossa vitória." Pela disposição dos jogadores santistas, não haverárelaxamento nessa partida. "O campeonato já está definido, masprecisamos vencer essa última partida que disputaremos em casa" disse Robinho, que volta ao time depois de cumprir suspensãoautomática. O volante Paulo Almeida, que estava na mesmasituação, também tem retorno garantido. Motivação - Se o grupo está motivado para a vitória, doisjogadores esperam o jogo contra o Grêmio com ansiedade. Douglas irá substituir Elano, mas terá um papel um pouco maisofensivo do que o companheiro que está suspenso. "A ordem ébuscar o jogo e chegar rápido pelas pontas", contou omeia-atacante. Já Fabiano será substituído por William, umcentroavante nato que não ganhou a preferência do técnico Leão,mesmo diante da falta de um jogador de ofício para a posição. "O professor falou que estava dando outra oportunidade",disse William. "Nas outras chances que tive, fui bem, fiz meusgols, mas a opção foi por outro jogador". Voltar ao banco nãodesanimou o atacante. "Num grupo forte como o Santos, há semprecomo ajudar e, nas vezes que fui chamado, procurei cumprir bemmeu papel." William tem contrato por mais um ano com o clube e esperaganhar mais experiência nesse período. "Vou continuartrabalhando no Santos para me aperfeiçoar, ganhar maturidade e,em 2005, vou tentar o exterior." Por conta da valorização desua transferência, quer começar a aproveitar as oportunidades apartir do jogo deste domingo. "Vou agarrar todas as chancesporque o time precisa que seus jogadores dêem tudo de si emcampo e também porque é preciso atrair a atenção dos times quepodem me contratar." O centroavante acha que o esquema armado por Leão para o jogofavorece seu futebol. "Vou ter mais dois atacantes do meu lado,eles encostam mais e acaba saindo mais jogadas". Mas ressaltaque há necessidade de fazer uma boa movimentação perto da áreado adversário. "Movimentando bastante, não há como marcar trêsatacantes", concluiu William.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.