Santos quer criar 'gordura' para se garantir no G-6 do Brasileirão

Alvinegro enfrenta a Chapecoense neste domingo, fora de casa

O Estado de S. Paulo

23 Outubro 2016 | 07h00

O Santos já está em Santa Catarina para enfrentar a Chapecoense com ideia fixa: abrir vantagem sobre os concorrentes. A equipe quer consolidar sua posição na tabela sem correr riscos de cair a cada rodada e se distanciar da zona de classificação da Libertadores. A sete rodadas do fim, o time da Vila Belmiro é o quarto colocado, com 55 pontos. O Atlético-MG, terceiro, tem 56, enquanto o Botafogo, quinto, tem 53 e já atuou na rodada, batendo o desesperado Santa Cruz por 1 a 0 fora de casa.

Ricardo Oliveira acredita que o momento é importante para tentar abrir certa folga na pontuação. "Queremos voltar a vencer no Brasileiro para consolidar nossa posição lá em cima e abrir vantagem de quem está atrás de nós", disse o atacante.

Embora os jogadores afirmem que não tiveram tempo para lamentar a eliminação para o Internacional nas quartas de final da Copa do Brasil, a diretoria fez questão de acompanhar o dia seguinte. O presidente Modesto Roma Júnior foi a Porto Alegre para cobrar o elenco. O dirigente não gostou da forma apática com que o Santos foi eliminado na derrota por 2 a 0 para os reservas do time gaúcho.

A reunião serviu para o presidente mostrar que está ao lado dos jogadores, mas, por outro lado, para ouvir eventuais problemas. Diferentemente de outras ocasiões, os salários estão em dia. Vários conselheiros pressionam Modesto para substituir a comissão técnica, mas o dirigente reafirmou que Dorival continuará no cargo até o fim de seu mandato.

"Nós temos uma responsabilidade com o torcedor. Vitórias e derrotas acontecem. Precisamos da vitória. É um jogo importante que vai recuperar a equipe psicologicamente após a Copa do Brasil", disse o dirigente santista. Ricardo Oliveira descartou problemas físicos. "Eu me sinto ótimo fisicamente. Tivemos dois dias após a última partida, nos recuperamos nesta quinta e também na sexta-feira. Nossa expectativa é a melhor possível para a rodada", afirmou.

Para o jogo deste domingo, Dorival espera que o Santos seja mais objetivo e saiba transformar a posse de bola em chances reais de gol, o que faltou na partida em Porto Alegre. O planejamento logístico foi alterado após a derrota. Como teria pouco tempo para treinar se optasse pelo retorno a São Paulo, o Santos preferiu permanecer em Porto Alegre antes de viajar para Chapecó.

SETE DECISÕES

Convocado pelo técnico Tite para defender a seleção brasileira nos jogos contra Peru e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, Lucas Lima acha que a vitória será consequência da retomada do bom futebol. "Temos de levantar a cabeça. Nossa equipe está forte, tem coisas que acontecem para nos fortalecer mais. Temos sete decisões pela frente", afirmou.

Contra a Chapecoense, o titular será Jean Mota. O meia não pôde enfrentar o Inter por já ter entrado em campo nesta edição da Copa do Brasil pelo Fortaleza. Com isso, Paulinho deverá voltar ao banco de reservas. O Santos espera o retorno de Vitor Bueno ao time titular apenas no clássico com o Palmeiras, dia 29, na Vila Belmiro. O meia ainda se recupera de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE - Danilo; Gimenez, Thiego, Neto e Dener; Matheus Biteco, Sérgio Manoel e Cléber Santana; Ananias, Hyoran e Kempes. Técnico: Caio Junior.

SANTOS -  Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Jean Mota, Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Junior.

JUIZ - Nielson Nogueira (PE).

TV - Pay-per-view.

LOCAL - Arena Condá, em Chapecó.

HORÁRIO - 19h30.

AO VIVO - estado.com.br/e/santosvivo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.