Santos quer dar exemplo no clássico

Ricardinho fará neste domingo à tarde, no Estádio do Morumbi, a terceira partida contra o São Paulo, clube do qual o meia não guarda boas lembranças - não conseguiu repetir as atuações que teve na época de Corinthians. Porém, o jogador do Santos garante não ter nenhuma mágoa de sua ex-equipe. "Será apenas mais um jogo de muitos que eu fiz e que ainda vou fazer contra o São Paulo", conta o jogador. Mas a partida contra o time de Emerson Leão terá um gosto especial para Ricardinho. A sua saída do Morumbi não foi nada amistosa. Sem ambiente, pediu para deixar o clube.E logo no primeiro jogo que fez contra a ex-equipe marcou um gol, de falta, aos 47 minutos do segundo tempo, garantindo a vitória do Santos por 2 a 1, no primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, fez questão de dizer que aquela era apenas mais uma partida na sua carreira.Hoje, o meia não quer que o clima acirrado afete a sua equipe hoje. "É o momento de nos concentrarmos. Temos todas as condições de fazer um bom jogo. Não temos que nos preocupar com essa parte de violência. Não temos mais que tocar nesse assunto", comenta Ricardinho. "Essas coisas não envolvem só o nosso trabalho. Acabam atingindo o torcedor também. Precisamos dar o exemplo. Temos que ir para o jogo pensando em jogar futebol. Nos preparamos para isso." Assim como Vanderlei Luxemburgo, Ricardinho evita comentar sobre o Atlético-PR, concorrente direto título do Brasileirão. "De nada adianta a gente torcer contra eles se não fizermos a nossa parte. Primeiro temos que ganhar os nossos jogos. E, daqui para frente, todas as 10 partidas serão uma decisão", aposta o meia.Time - Esquecer o clima de guerra criado na partida de quarta-feira passada e pensar apenas em jogar futebol são os dois pedidos feitos pelo técnico Vanderlei Luxemburgo para o clássico. Nos dois últimos confrontos entre as equipes, os ânimos se exaltaram. "Temos de pensar apenas em jogar futebol. O árbitro vai estar lá para punir o que tiver que punir", diz o treinador do Santos.Elano é a principal dúvida do Santos. Com uma forte gripe, o jogador não participou dos treinamentos da semana em Atibaia e poderá ficar de fora. "Ele está muito debilitado. Vou esperar até a hora do jogo para definir a escalação." Se não puder contar com o meia, Vanderlei Luxemburgo tem três alternativas para definir a equipe: a entrada de Ávalos na zaga, alterando o esquema tático para o 3-5-2; de Marcinho, tornando o time mais ofensivo, ou optando por Zé Elias, para dar mais proteção ao meio-de-campo. "É um jogo muito importante, porque se vencermos vamos abrir nove pontos em relação ao São Paulo, que briga pelo título, e vamos continuar lutando com o Atlético Paranaense pela liderança", acredita o atacante Deivid.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.