Santos quer explorar nervosismo do Chivas na Libertadores

Técnico Emerson Leão escala força máxima nesta quarta-feira para tentar a classificação no México

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2008 | 20h36

O Santos promete explorar o nervosismo do Chivas no jogo desta quarta-feira, a partir das 21h50 (horário de Brasília), no Estádio Jalisco, em Guadalajara - com acompanhamento do estadao.com.br. Afinal, o time mexicano entra em campo pressionado por ser o último colocado do Grupo 6 da Libertadores e precisa desesperadamente da vitória para seguir com chances de classificação.   Veja também:   Classificação Resultados e calendário   O Chivas está com apenas três pontos, na lanterna da chave, enquanto o Santos ocupa o segundo lugar, com sete pontos - está atrás apenas do Cúcuta (Colômbia), que na terça-feira derrotou o San José, na Bolívia, por 4 a 2. Assim, uma vitória nesta quarta-feira garante a classificação santista para as oitavas-de-final da Libertadores.   Nos dois treinos realizados no campo do Providência, em Guadalajara, o técnico Emerson Leão orientou os laterais, meias e atacantes do Santos nas finalizações e ensaiou jogadas em escanteios e em cobranças de faltas próximas à área adversária. Afinal, ele sabe que um lance desses pode ser decisivo num jogo difícil como deve ser contra o Chivas.   A idéia de Leão é manter o mesmo time que goleou o San José por 7 a 0, na semana passada, na Vila Belmiro, embora tenha cogitado abrir mão do meia Rodrigo Tabata para escalar o zagueiro Fabão ao lado de Domingos e Betão, o que passaria o esquema tático santista para o 3-5-2. Chivas-MEX Luis Michel; Magallón, Reynoso, Francisco Rodríguez e Xavier Báez; Solís, Pineda, Ramón Morales e Medina; Sergio Santana e Omar Bravo Técnico: Efraín Flores Santos Fábio Costa; Denis, Domingos, Betão e Kleber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto e Rodrigo Tabata; Molina, Kleber Pereira e Wesley Técnico: Emerson Leão Árbitro: José Buitrago (COL)Estádio: Jalisco, em Guadalajara (MEX)Horário: 21h50 (horário de Brasília)Rádio: Eldorado/ESPN - AM 700 KhzTV: Globo Concentrado apenas na Libertadores, depois de não conseguir passar às semifinais do Campeonato Paulista, o Santos se sente em casa em Guadalajara, ao contrário das dificuldades que enfrentou nas duas primeiras viagens na competição continental: foi para Cúcuta, na Colômbia, e para os 3.700 metros de altitude de Oruro, na Bolívia.   Como a seleção do Brasil fez toda a sua preparação no Providência FC (onde os santistas treinaram dessa vez), ficou concentrado em Guadalajara e disputou as fases iniciais da Copa do Mundo de 1970 no Estádio Jalisco, a admiração local pelos brasileiros ainda é grande.   Mas o maior trunfo do Santos é mesmo a motivação de dois de seus principais jogadores: o atacante Kleber Pereira e o meia Molina, os responsáveis diretos pela arrancada do time nas sete rodadas finais do Paulistão e pela razoável campanha na Libertadores.   Kleber Pereira negocia um contrato mais longo, com aumento de salário, para continuar no Santos. E os números provam sua enorme importância para o time santista: foram 15 gols marcados nos últimos 16 jogos. "É verdade que Kleber Pereira perde gols, mas ele é o nosso artilheiro e lamento não ter dois Kleber", disse Leão.   Já Molina conquistou a torcida santista depois de boas atuações na temporada. Perto de completar 28 anos - faz aniversário no dia 30 de abril -, ele espera que sua boa fase no Santo o leve a ser convocado para a seleção colombiana.   "O Chivas precisa vencer, senão ficará sem chance de classificação e é um time raramente perde em seu estádio, com o apoio de sua torcida", avisou Molina, que já atuou no futebol mexicano - defendeu o Morelia na temporada de 2003/04.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa LibertadoresSantos FCChivas-MEX

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.