Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Santos quer iniciar sua recuperação contra o Fluminense

Vitória no Maracanã, às 16h, acabará - ou encobrirá - a crise de relacionamento entre os jogadores

SANCHES FILHO, Agencia Estado

24 de maio de 2009 | 08h42

O Fluminense pode pagar pelo que não fez. O Santos entra em campo neste domingo, às 16 horas, no Maracanã, disposto a se reabilitar do péssimo resultado do último domingo na Vila Belmiro - 3 a 3 com o Goiás - e conseguir ganhar pela primeira vez no Campeonato Brasileiro.

Veja também:

link Parreira quer entrega e um bom futebol do Fluminense

especial Visite o canal especial do Brasileirão

especial Jogue o Desafio dos Craques

tabela Brasileirão Série A - Classificação e Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Se a vitória acabará (ou encobrirá) com a crise de relacionamento entre os jogadores, a derrota terá efeito devastador. É possível que até o emprego de Vágner Mancini fique ameaçado. Pesa contra o técnico a desclassificação precoce na Copa do Brasil pelo fraquíssimo CSA e a sua falta de pulso para punir Fábio Costa, o número 1 do presidente Marcelo Teixeira.

 FLUMINENSE
Fernando Henrique; Mariano, Luiz Alberto, Edcarlos e Dieguinho; Welington Monteiro, Marquinho, Conca e Thiago Neves; Maicon e Fred.
Técnico: Carlos Alberto Parreira
 SANTOS
Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Eli Sabiá (Domingos) e Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Paulo Henrique e Madson; Kleber Pereira e Neymar.
Técnico: Vágner Mancini
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Horário: 16 horas

TV: Globo e PPV

O goleiro provocou novo incidente ao ameaçar agredir o garoto Paulo Henrique Lima e a se comportar como se fosse o dono do clube, no domingo passado, nos vestiários da Vila Belmiro. E ficou impune. Mancini prometeu tomar drásticas providências, mas no dia seguinte deu o assunto por encerrado alegando que não houve briga.

Ao terminar o Campeonato Paulista como vice-campeão, após brilhante arrancada na fase de classificação e despachar o favorito Palmeiras com duas vitórias nas semifinais, o Santos parecia bem encaminhado para ser um dos destaques do Nacional. Bastaria contratar um bom lateral-direito, um atacante de velocidade e um meia, além de aumentar e qualificar o grupo.

A intenção de Mancini era aproveitar que, ao contrário de importantes concorrentes, o Santos disputa apenas o Brasileiro para acumular pontos nas primeiras rodadas. Porém, passados 20 dias da decisão, o time continua quase o mesmo, mas está longe do estágio atingido no Estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.