Santos quer manter Luxemburgo

O Santos tem um objetivo bem definido para 2005: vencer a Copa Libertadores. Para isso, o presidente Marcelo Teixeira conta com a permanência de Vanderlei Luxemburgo no comando da equipe e revelou nesta segunda-feira que a prioridade do clube é a renovação do contrato do treinador, que vence dia 31. "Não temos conversa prevista, mas esperamos resolver essa questão o mais rápido possível". Nesta segunda a diretoria preparou uma grande festa para os torcedores e dois mil deles puderam assistir à entrega do troféu conquistado no domingo. Os ausentes da festa foram Luxemburgo e Robinho. Os jogadores entram em férias nesta terça, mas as comemorações não irão parar. "Foi um título merecido e vamos comemorar até o começo do próximo campeonato", disse o capitão Ricardinho, completando: "em janeiro, estaremos de volta". Com isso, garantiu sua permanência na Vila Belmiro em 2005. "Fui muito bem recebido pelas pessoas, pela cidade e estou muito feliz em Santos".Se depender da vontade de Marcelo Teixeira, o Santos não será desmanchado no mês que vem. "Alguns se equivocam dizendo que os contratos estão vencidos e que haverá um desmanche no Santos. Isso não é verdadeiro e, ao contrário, grande parte do elenco continua vinculado ao Santos", disse o presidente, garantindo que os demais estão perto de renovar, "com vistas à disputa da Libertadores".Dentro desse processo, Teixeira revelou que esse processo de renovação começou há tempos, para evitar perda de tempo. Ele quer a definição o mais rápido possível da permanência ou não de Luxemburgo. "Não posso afirmar que ele está mais próximo de ficar ou de sair porque não convesei ainda em minúcias e tivemos apenas algumas tratativas".Ele não citou nomes de técnicos que possam substituir o atual treinador. "A prioridade número um é o Vanderlei". Sobre a permanência de Robinho e Elano. "É cansativo ficar falando na saída desses dois jogadores".O lateral-esquerdo Léo, que estuda propostas e tem o novo contrato pronto, faltando apenas as assinaturas, disse que irá "estudar com carinho todas elas, mas estou muito identificado com a cidade e o time e posso ficar". Ele entrende que o técnico Vanderlei Luxemburgo foi muito importante para a conquista do Brasileiro. "Ele trabalhou muito bem o grupo, dentro e fora de campo", comentou, ressaltando o trabalho psicológico desenvolvido para que os jogadores não ficassem pensando o tempo todo no Atlético-PR. "Sempre trabalhamos pensando em fazer a nossa parte, que um dia o adversário ia tropeçar. Mas ele demorou para fazer isso e a decisão ficou para o final. Se tivessemos desistido quando todo mundo achava que o Atlético seria o campeão, eu não estaria agora com essa medalha no peito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.