Santos quer US$ 15 milhões por Diego

Agora só uma questão financeira separa Diego do Tottenham, time inglês que apresentou proposta de US$ 9 milhões para ficar com a maior revelação do futebol brasileiro do ano passado. É que o Santos insiste em liberar o meia por US$ 15 milhões, pois pretende ficar com US$ 9 milhões, correspondente aos seus 60% nos direitos federativos do atleta. Já o pai e procurador do meia, Dejair Silveira da Cunha, entende que a hora é oportuna para fechar o negócio. O presidente Marcelo Teixeira tem comentado que não pretende a liberação de Diego, mas aceitou discutir essa possibilidade. Tanto que hoje o clube admitiu pela primeira vez a proposta do time inglês. Várias razões levaram a diretoria do Santos tratar do caso e a primeira delas é que o time não venceu a Libertadores da América e, consequentemente, não se classificou para a disputa do título mundial no Japão. Dessa forma, o time disputa no momento o título de bicampeão brasileiro, considerado importante mas não a ponto de segurar o jogador. De qualquer maneira, os dirigentes santistas querem mais que os US$ 5,4 milhões, referentes aos 60% de seus direitos federativos sobre o jogador, mas quer também permanecer como sócio, pensando numa transação futura. Reivindicam ainda a permanência de Diego até o final do ano na Vila Belmiro. Já o pai e procurador de Diego, Dejair Silveira da Cunha, entende que chegou o momento de o jogador deixar a Vila Belmiro. Ele tem 40% dos direitos federativos e, pelas suas contas, o meia tem mais 18 meses de contrato com o clube. "Entendo que a oportunidade não deve ser perdida porque houve uma proposta concreta e antes era só especulação", disse ele, pensando na possibilidade de não surgir outra chance. "Não posso me dar ao luxo de esperar outra oportunidade", comentou. Dejair da Cunha acha que a transferência de seu filho é oportuna. "Ele tem apenas 18 anos e, jogando pelo Tottenham, pode se firmar no futebol europeu num primeiro momento e depois partir para uma segunda negociação". Ele está convencido de que "o momento para Diego ir para a Europa é esse". Caso o negócio seja fechado em US$ 9 milhões, a família de Diego ficará com US$ 3,6 milhões (40% dos direitos).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.