José Patrício/AE - 25/7/2011
José Patrício/AE - 25/7/2011

Santos quer vitória para seguir subindo no Campeonato Brasileiro

Time de Muricy Ramalho recebe o Figueirense às 18 horas sem contar com Neymar

SANCHES FILHO, Agência Estado

24 de setembro de 2011 | 08h17

Neste sábado, às 18 horas, na Vila Belmiro, pela 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Figueirense, o Santos quer provar que é forte, apesar da ausência daquele que já pode ser considerado o maior jogador da história do clube depois que Pelé se aposentou. Recordista do time em cartões amarelos, Neymar vinha jogando pendurado desde a derrota contra o Coritiba, em 17 de agosto. Ele forçou o terceiro nos acréscimos da partida diante do América-MG, em Uberlândia, para cumprir a suspensão diante dos catarinenses, um jogo teoricamente mais fácil do que os seguintes - contra Fluminense, no Rio de Janeiro, Grêmio, em Porto Alegre, e Palmeiras, na Vila Belmiro.

Borges não para de fazer gols - marcou nos últimos cinco jogos - e Alan Kardec se encaixou bem no time, mas o sucesso da dupla de atacantes está diretamente ligado ao futebol diferenciado de Neymar. Mesmo sem fazer gol há oito jogos - sete pelo Santos e um pela seleção brasileira - o garoto de 60 milhões de euros é quem desestabiliza as defesas adversárias. Na falta de Paulo Henrique Ganso cria situações de gols com lances geniais e abre espaços para os companheiros completarem para as redes.

"O Santos tem um grupo forte, mas nenhum jogador parecido com ele. Neymar é fora de série. Se bem que o cartão foi bom para deixá-lo zerado e para a sua recuperação", afirmou Muricy Ramalho, após o treino desta sexta-feira. Como de costume, o treinador usou o desfalque do atacante para fazer mistério sobre a escalação. Mas há pouco a esconder. Ele deve mudar o esquema do 4-3-3 para o 4-4-2, com o retorno de Henrique, após cumprir suspensão, formando o meio de campo com Adriano, Henrique, Arouca e Ibson.

A outra opção seria a entrada do garoto Felipe Anderson, mas a tendência é que treinador escolha Henrique mesmo para deixar o time mais equilibrado. "Com a perda do nosso melhor jogador, podem ficar Alan Kardec e Borges na frente e ter uma mexida no meio", acrescentou o técnico. Muricy também considera o jogo deste sábado duríssimo. "O Figueirense é bem armado e perigoso fora, mas esperamos novamente fazer o resultado".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.