Santos reclama de árbitro e São Paulo reclama do adversário

Protestos pela atuação de Antônio do Prado não devem ter efeito, pois presidente de comissão o defende

Jornal da Tarde

11 de fevereiro de 2008 | 10h25

Mais uma vez, a arbitragem é motivo de reclamações após um clássico. O São Paulo venceu neste domingo o Santos por 3 a 2 e tanto os dois técnicos quanto os jogadores saíram de campo protestando de erros que teriam decidido a partida. O coronel Marcos Marinho, presidente da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol (CEAF), defende Antônio Rogério Batista do Prado. "A arbitragem está aprovada. Foi muito bem. Pelo que vi, não foi pênalti. Mas o que posso fazer se o centroavante do Leão perdeu o gol? Não posso fazer nada", diz.Veja também: Ouça os gols do clássico pela rádio Eldorado/ESPN São Paulo aproveita falhas do Santos e vence o clássico Apesar da derrota no clássico, Leão aprova o Santos Muricy fica satisfeito com o São Paulo após vitória no clássico Classificação Últimos resultados / Próximos jogosO descontentamento com a arbitragem foi tanto que Leão e Muricy, amigos de longa data, quase se desentenderam. "O Muricy reclama que eu falo, mas ele fala mais, é o que mais manda. Tem que parar de falar. Somos amigos, mas dentro de campo não tem essa conversa pra boi dormir. Cada um defende o seu."Muricy retruca: "O Leão está reclamando desde o começo da semana. Nem tinha começado o jogo e já estava reclamando."A bronca santista começou pouco antes dos 40 minutos da etapa final. Em um contra-ataque, Kléber Pereira teve duas chances de fazer o gol e não conseguiu. No lance em que se enrolou com Rogério Ceni e Miranda, o atacante reclamou de um pênalti do zagueiro, que teria tirado a bola com a mão. O juiz nada marcou. Pouco depois, quando o São Paulo já havia desempatado o jogo, Rodrigo Tabata bateu boca com Batista do Prado e foi expulso.Apesar dos protestos, oficialmente nenhum dos clubes deve tomar uma atitude contra o árbitro. O Santos, aliás, já tem de esquecer o assunto, porque viaja nesta segunda-feira para Cúcuta, na Colômbia, onde joga na quarta-feira pela Copa Libertadores. Já o São Paulo está de folga e só treina às 9 horas da terça-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCSantos FCPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.