Ricardo Saibun/Divulgação - 14-8/2012
Ricardo Saibun/Divulgação - 14-8/2012

Santos recusa e São Paulo estuda nova oferta por Paulo Henrique Ganso

Clube achou baixa a oferta de R$ 11 mi e são-paulinos devem atingir R$ 15 mi mais a ida em definitivo de Juan

FERNANDO FARO, Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 22h42

SÃO PAULO - O Santos não demorou a responder à proposta do São Paulo, de R$ 11 milhões, para contratar Paulo Henrique Ganso. E conforme já esperavam os dirigentes tricolores, a resposta é negativa. Em seu Twitter oficial, o clube da baixada santista comunicou que não gostou dos valores.

"O Santos informa que recebeu, na tarde desta terça-feira, por e-mail, proposta oficial do São Paulo pelo atleta Paulo Henrique Ganso. A oferta estava muito longe de atender aos interesses do Santos, que prontamente respondeu de forma negativa à proposta", avisa o perfil oficial do clube alvinegro.

Mas o São Paulo acredita ter encontrado a oferta que dobrará o Santos e convencerá o rival alvinegro a mudar de ideia. O time tricolor pretende oferecer nos próximos dias uma proposta de R$ 15 milhões mais o lateral Juan em definitivo para sacramentar a negociação e adquirir os 45% dos direitos econômicos que pertencem ao clube santista (os outros 55% são da DIS).

A primeira aproximação foi feita nesta terça-feira após uma reunião entre o presidente Juvenal Juvêncio, o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes e o diretor de futebol Adalberto Baptista, que resultou numa oferta inicial de R$ 11 milhões, valor que não agradou os santistas. Nenhum atleta foi incluído na primeira aproximação, que teve como objetivo principal sondar a seara santista para avaliar a receptividade a uma negociação.

"É um jogador que interessa ao São Paulo, vocês já sabiam disso pelas próprias declarações do presidente (do Santos) Luis Alvaro. Formalizamos uma proposta escrita conforme ele havia pedido e vamos aguardar uma resposta. Vamos ver, estou otimista", afirmou Adalberto, antes de receber a negativa.

O Santos afirma publicamente que não pretende se desfazer do atleta por um valor menor que os R$ 23,8 milhões estipulados no contrato (a multa de Ganso para clubes brasileiros é de R$ 53 milhões), mas o intuito do São Paulo é sondar o terreno para avaliar a receptividade do clube com a possibilidade de negociação. Antes absolutamente contrário a perder o meia, o Santos já aceita negociá-lo desde que receba o que está estipulado, mas pode ceder caso tenha uma proposta que julgue vantajosa.

Pesa para o desfecho positivo a péssima relação entre Santos e jogador e seu desejo de deixar a Vila Belmiro nem que seja para atuar em outro clube brasileiro. Ganso vê com bons olhos a transferência para o Morumbi e acredita que poderá finalmente receber um salário de acordo com as expectativas. Atualmente ele recebe cerca de R$130 mil mensais e gostaria de cifras na casa dos R$ 500 mil, valor superior ao teto estipulado pelo clube tricolor. No entanto, pode ter um salário no mesmo patamar de Luis Fabiano, que recebe pouco mais de R$ 400 mil.

A reunião desta terça serviu também para convencer Juvenal de que vale a pena investir no meia. O presidente tinha dúvidas sobre o retorno que Ganso poderia dar em campo por achar que falta nele o espírito "guerreiro" que a diretoria tem procurado e pela condição física problemática. Aceitou os argumentos de Jesus Lopes e Adalberto e partiu para o ataque, reforçado pelos R$ 108 milhões conseguidos na venda de Lucas para o Paris Saint-Germain.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.