Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Santos registra boletim de ocorrência por invasão a CT e ataque a ônibus com coquetel molotov

Clube acredita em motivação da política interna para violência e acusa torcida organizada, que nega a situação

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2021 | 19h06

O Santos registrou um boletim de ocorrência em que acusa a torcida organizada Sangue Jovem Santista pela violência contra o elenco do clube nos últimos dias, e cita dois episódios: o ataque ao ônibus no último domingo, após a vitória contra o São Bento, e a invasão do CT no dia 30 de abril. A entidade de torcedores nega as acusações.

No documento, o advogado Pedro Felipe Gomes da Silva, que representa o Santos, afirma o ônibus foi atingido por pedras, foguetes e até um coquetel molotov, quando os jogadores retornavam da Vila Belmiro para o CT do clube. Imagens de câmeras de segurança mostrariam isso.

Em 30 de abril, torcedores teriam aproveitado a liberação para a entrada de um carro no CT para invadir o local. "Aproximadamente 15 torcedores adentraram sem permissão ao local e exigiram a presença de líderes do elenco de jogadores, técnico e preparador de goleiros", diz o texto do boletim de ocorrência.

O Santos ainda afirma que as razões para tal seriam relativas à política interna do clube. Em nota oficial publicada nas redes sociais, a Sangue Jovem Santista negou todas as acusações, afirmando apenas ter esperado o time na rua e que nada foi atirado em direção ao ônibus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.