Santos reitera que não tem pressa por novo treinador

A derrota para o Vasco, sofrida nesta terça-feira, não mudou o pensamento do Santos de ter calma para contratar um novo treinador, após a saída de Dorival Júnior. Para a diretoria santista, não há pressa para definir o substituto de Marcelo Martelotte, que segue como interino e não deve ser efetivado.

SANCHES FILHO, Agência Estado

29 de setembro de 2010 | 20h18

"Se depois da vitória por 4 a 1 contra o Cruzeiro Marcelo Martelotte não foi efetivado, não será a derrota diante do Vasco que vai apressar a nossa decisão", alegou o diretor de futebol Pedro Luís Nunes Conceição. Além disso, o dirigente garantiu que não contratará um técnico "tampão", que ficaria apenas até o final do ano.

A ideia da diretoria santista é trazer um treinador para já iniciar o planejamento de 2011. Os favoritos são Abel Braga e Paulo Autuori, mas ambos estão no futebol árabe e têm multas milionárias para deixar os seus clubes. Abel está no Al Jazira, dos Emirados Árabes, enquanto Autuori treina o Al-Rayyan, do Catar.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.