Santos rescinde contrato de Pelé

Edson Arantes do Nascimento cortou outro vínculo com o Santos: depois de dois anos afastado do cargo de treinador das equipes de amadores, seu contrato foi rescindido e a sua carteira profissional devolvida. Seu procurador recebeu o saldo de R$ 4.935,47, quitando as contas com o clube. Em 99, Pelé realizou aquilo que definiu como seu sonho: realizar um trabalho com os atletas das categorias de base, recebendo salários mensais de quase R$ 7 mil.Quando Marcelo Teixeira ganhou a eleição no final de 99, Pelé pediu demissão de seu cargo e não voltou mais à Vila Belmiro. Ele havia ficado magoado quando, durante o processo eleitoral, torcedores passaram a gritar seu nome de maneira ofensiva. Ele atribuiu a Teixeira a ordem para a torcida xingá-lo e rompeu seus vínculos com o clube. Até então, com o amigo Samir Abdul-Hak na presidência, ele negociava uma parceria com o grupo Cie-Octagon-Kock-Tavares e a construção de um novo estádio para o Santos. Sem Pelé, esses negócios não chegaram a ser efetivados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.