Santos: Ricardinho e Basílio preocupam

A ordem no Santos é poupar. Poupar para que nenhum jogador desfalque a equipe nessa reta final do Campeonato Brasileiro. Se Ricardinho já preocupava, nesta quinta-feira foi a vez de Basílio entrar para esta lista. Quanto mais se aproxima o fim da temporada, menor é a resistência dos atletas, que já não suportam o longo calendário do futebol brasileiro.Sem Ricardinho - e ainda sem Elano -, Luxemburgo foi obrigado a treinar com um meio-de-campo alternativo: Fabinho, Zé Elias, Preto Casagrande e Marcinho.Pelo que parece, Ricardinho é o que mais preocupa. As dores na panturrilha direita não o deixam sequer treinar. Na quarta, já em Atibaia, o meia apenas andou em volta do gramado, enquanto o restante passava por uma bateria puxada de exercícios físicos. Nesta quinta, Ricardinho nem apareceu. Ficou a tarde inteira no quarto do hotel, fazendo compressa de gelo.Além dele, Basílio também foi afastado dos treinos. O substituto direto de Robinho ganhou o colete de titular de Luxemburgo, mas não ficou nem cinco minutos em campo. No primeiro pique, Basílio abaixou, colocou a mão na perna direita e caminhou em direção ao banco. O colete foi passado para William. A dor que não incomodava na panturrilha direita ganhou proporções maiores. Ele nem esperou o treino acabar. Subiu rapidamente para o quarto para uma sessão de gelo.Esta sexta-feira será um dia será decisivo. Os jogadores vão saber se estarão em condições de enfrentar o São Caetano, domingo, no ABC. Se não participarem do treino, correm o risco de ficarem de fora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.