Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Santos se classifica nos pênaltis

O Santos conseguiu o que parecia impossível. Venceu a LDU por 2 a 0, nesta terça-feira, na Vila Belmiro, e levou a decisão das oitavas-de-final da Libertadores para os pênaltis. No tempo normal, Diego resolveu com dois gols. Nos pênaltis, Obregon errou um e Léo fez o quinto que deu a classificação aos santistas: 5 a 3. Sorte de Vanderlei Luxemburgo, que assumiu no domingo e já colocou o time nas quartas-de-final da competição continental.O Santos começou arrasando. Dois minutos e Diego abriu a contagem, na raça. Aproveitou um rebote da zaga, acreditou no lance e, de pé direito, mandou a bola para a rede. Saiu batendo a mão no peito como um alucinado, tudo em comunhão com os torcedores que se debatiam de felicidade. Estava aberta a porta dos três gols que o time precisava - no Equador, a LDU tinha feito 4 a 2, resultado que derrubou o técnico Leão.Difícil não imaginar que o segundo gol sairia logo. Diego impunha um ritmo alucinante. Recebia a bola da defesa e, de primeira, servia Deivid e Robinho, que arriscavam de fora da área.A LDU, confusa com o gol relâmpago, estava incomodada. Jogava com três zagueiros e uma linha de quatro no meio-de-campo, mas não acertava a marcação. Do outro lado, muita vontade. Cada lance disputado palmo a palmo.Ímpeto demais que acabou atrapalhando o Santos em um lance fortuito. Elano entrou firme em Salas e acertou o joelho esquerdo do bandeirinha Benito Lugo. Foi um castigo para o time santista. Lugo sentiu e pediu substituição. O jogo ficou paralisado cinco minutos. A parada quebrou o ritmo da equipe.Bola em jogo novamente, e o Santos teria de começar tudo outra vez. Mas a LDU já havia se organizado. Marcando em linha, obrigou Deivid e Robinho a ficarem impedidos pelo menos umas cinco vezes. Difícil encontrar o caminho do gol. E, para complicar, o time do Equador foi encontrando espaços para chegar na zona de gol de Júlio Sérgio. Em duas tentativas com Villagra quase marcou.Sem encontrar uma solução para fugir da linha de impedimento dos equatorianos, o time santista teve apenas mais dois lances agudos: Robinho, depois de um contra-ataque, chutou no pé da trave de Espinoza; e Elano mandou a bola no travessão depois de um rebote de escanteio. E ficou nisso no primeiro tempo.No segundo, a história se repetiu. Quatro minutos, Diego marcou o segundo. A Vila explodiu. Diego, Diego, o nome do garoto ecoou pelo estádio. O lance do gol começou com Robinho disputando a bola no alto com Jácome. Jogadores da LDU reclamaram falta do santista. O árbitro Carlos Amarilla não se intimidou. E aos 15, expulsou o técnico Daniel Carreño, que continuou reclamando.Os equatorianos estavam irritados. Tudo caminhava para o terceiro gol, o da classificação. Mas Diego teve de sair, o músculo da coxa esquerda traiu o camisa 10. Luxemburgo pôs Basílio em seu lugar. O time brasileiro sentiu. Precisava do terceiro gol. Aflição na Vila. E a vaga foi mesmo para os pênaltis. Deu Santos: 5 a 3.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.