Santos se resigna e não pedirá dispensa de Neymar da seleção

Atacante disputará dois amistosos, desfalcando o clube nas partidas contra o Botafogo e o Vasco

Sanches Filho - O Estado de S. Paulo,

28 de setembro de 2012 | 10h07

SANTOS - O Santos decidiu não pedir à CBF a dispensa deNeymar dos amistosos da seleção brasileira contra o Iraque, na Suécia, e Japão, na Polônia, respectivamente em 11 e 16 de outubro. Em razão dos dois jogos do Brasil na Europa, o atacante vai desfalcar a equipe santista nas partidas contra o Botafogo, no próximo dia 11, no Engenhão, e três dias depois na Vila Belmiro, diante do Vasco.

 

"Numa das convocações da Seleção Brasileira, lá atrás, o Santos solicitou a dispensa dos seus jogadores, mas a CBF não atendeu e ainda nos enviou um ofício explicando a importância da presença dos principais atletas para o trabalho de Mano Menezes", disse, na tarde desta quinta-feira, 28, o vice-presidente santista, Odílio Rodrigues Filho. O dirigente lembrou que como a Copa de 2014 será no Brasil a CBF considera a seleção prioridade absoluta.

 

Outro motivo para se conformar em perder sua maior referência em duas das 12 rodadas restantes do Brasileiro é que o Santos não almeja mais nada de importante na competição. Com o fraco desempenho do time no primeiro turno e nas quatro primeiras rodadas do segundo, Muricy Ramalho sentiu que não havia mais possibilidade de reação para chegar ao G-4 e disputar o título. Após a derrota por 3 a 1 (Neymar cumpriu suspensão pelo terceiro amarelo) contra a Portuguesa, o treinador deu sinais de que deixou de acreditar até na classificação à Libertadores.

 

Como o time soma apenas 33 pontos e está estacionado na parte de baixo da tabela, a preocupação de Muricy passou a ser terminar bem o Brasileiro e o planejamento para 2013. A diretoria acena com a contratação de dois jogadores top e com a qualificação do elenco com reforços de bom nível. Muricy acredita que se os seus pedidos forem atendidos o time vai se tornar menos dependente de Neymar e terá maior regularidade do que o atual, mesmo com as seguidas convocações do craque no ano que antecederá a Copa do Mundo.

 

Para a diretoria, falta de recursos não será problema para a formação do grande time. "Não vamos usar apenas o dinheiro da venda de Ganso (quase R$ 24 milhões). Esse é um valor que entra como uma das receitas do futebol neste ano. No orçamento de 2013, vamos destinar verba para o futebol, inclusive para investir no fortalecimento do elenco", explicou Odílio.

 

SEM MEDALHA

Depois de o gerente de futebol Felipe Faro ter afirmado que Ganso vai ficar sem a medalha de campeão da Recopa por não ter participado do segundo jogo contra a Universidad de Chile, ontem Odílio Rodrigues Filho disse que a premiação do ex-meia santista nem chegou a ser cogitada no clube. "A conquista foi muito recente e nem houve tempo para pensarmos a respeito disso. Sinceramente, eu não saberia responder se o número de medalhas foi o bastante para todo o elenco", desconversou.

Tudo o que sabemos sobre:
NeymarSantos FCSeleção brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.