Guilherme Kastner/Brazil Photo Press
Guilherme Kastner/Brazil Photo Press

Santos sente falta de Robinho e fica só no empate com o São Bento

Sem o atacante, na seleção brasileira, time lamenta 2 a 2 na Vila

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

29 Março 2015 | 20h31

 O Santos sentiu demais a falta de Robinho e sofreu o segundo resultado negativo em três dias pelo Campeonato Paulista, com o empate por 2 a 2 contra o São Bento, neste domingo, na Vila Belmiro. Agora o time precisa da vitória contra o Corinthians, na Arena de Itaquera para ter possibilidade de fechar a primeira em segundo lugar na classificação.

O começo santista foi de assustar até o mais otimista dos torcedores. Zeca, que entrou no time em razão da suspensão de Cicinho, falhou numa rebatida, a bola ganhou altura e saiu pela linha de fundo. Na cobrança do escanteio, Renan Teixeira subiu mais que os marcadores e cabeceou para as redes de Vladimir, que ainda não tinha tocado na bola, fazendo 1 a 0.

Era o pior dos cenários para um time que teve interrompida a série de 14 jogos invictos com a derrota diante da Ponte Preta no meio da semana, além de ter perdido o seu goleiro titular Vanderlei, com fratura em um osso da face e não contar com três outros titulares: Cicinho e Valencia, suspensos por cartões amarelos, e Robinho, que jogou pela seleção brasileira contra o Chile, ontem, em Londres.

O São Bento começou o jogo com nove dos 10 jogadores linha em seu campo de defesa e apenas um atacante mais avançado, numa clara demonstração de que se a vitória viesse seria por obra do acaso. Depois dos dois gols, marcados com menos de 15 minutos de jogo, o São Bento sentiu a instabilidade santista, criou coragem e se soltou um pouco, mas expunha as suas limitações com seguidos erros de passes e falta de força ofensiva.

O Santos buscou o gol no início, com trocas de passes e finalizações de fora da área, mas aos poucos foi caindo de produção por sentir demais a falta de um jogador com mais iniciativa. Mesmo assim reagiu rapidamente, com Ricardo Oliveira convertendo o pênalti sofrido por Lucas Lima. Sem ter o que perder, o São Bento afrouxou a marcação e passou a apostar mais na possibilidade de marcar o segundo gol e nem assim o Santos se aproveitou.

Sem Robinho, todos jogaram abaixo. O segundo gol do São Bento as falhas de marcação dos santistas começaram no meio campo e permitiram que Éder surgisse livre pela direita para arrematar forte, sem chance de defesa para Vladimir. O Santos foi o retrato de um time desestruturado e sem inspiração.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 x 2 SÃO BENTO

SANTOS (4-4-2): Vladimir; Victor Ferraz, David Braz, Werley e Zeca; Lucas Otávio (Elano), Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Lucas Crispim), Ricardo Oliveira e Gabriel (Thiago Ribeiro). Técnico: Marcelo Fernandes.

SÃO BENTO (4-4-2): Henal; Alex Reinaldo (Veloso), Wanderson, João Paulo e Marcelo Cordeiro; Éder, Serginho Catarinense, Renan Teixeira (Xandão) e Nilson; Renan Mota (Chico) e Giovanni. Técnico: Paulo Roberto Santos.

GOLS: Renan Teixeira, aos 12, e Ricardo Oliveira, aos 15 minutos do primeiro tempo; Éder, aos 13 e Gabriel, aos 24, do segundo.

Juiz: Flávio Rodrigues de Souza.

Cartões amarelos: Lucas Otávio e Gabriel

Público: 5.149 pagantes.

Renda: R$ 106.920,00.

Local: Vila Belmiro, em Santos. 

Mais conteúdo sobre:
futebol Campeonato Paulista Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.