Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Santos só pensa na Libertadores

O Santos vai ser só Libertadores a partir desta segunda-feira. Enquanto os jogadores vão ficar uma semana concentrados e treinando pesado para adquirir melhor condicionamento físico e entrosamento, num hotel de Atibaia, interior de São Paulo, a diretoria vai jogar pesado para levar Juninho Paulista para a Vila Belmiro. Nos corredores do clube há quem aposte que terça-feira, quando o meia se desligar do Celtic, da Escócia, o seu destino será a Vila Belmiro e não o Parque Antártica, como garantem os palmeirenses. O centroavante Mota, que fez muitos gols na campanha do título brasileiro do Cruzeiro, em 2003, e atualmente está encostado no Sporting, de Portugal, é outro reforço provável. Os dois são os principais reforços que o técnico Gallo pede aos dirigentes para ganhar a Copa Libertadores da América e salvar o primeiro semestre do Santos. "Temos consciência que o elenco precisa ser melhorado", afirma Gallo. "Mas não podemos falar de nomes. No momento certo, a imprensa será informada." Quando a pergunta é sobre Juninho Paulista e Mota, o técnico acrescenta que são excelentes jogadores e que caso as contratações se concretizem, serão benvindos. "É sempre importante trazer jogadores de qualidade." Gallo considera Juninho o jogador ideal para fazer a função que era de Elano, que foi para o futebol da Ucrânia, nos times campeões de 2002 e 2004. Quando terminou o sofrido jogo contra a Internacional, de Limeira, sábado à tarde, na Vila Belmiro, Gallo mostrou-se aliviado com o resultado de 1 a 0, mesmo admitindo que o time jogou mal, porque teve que improvisar na escalação, recorrendo inclusive a quatro jogadores do Santos B, em razão do elevado número de desfalques. "Tive apenas um dia de trabalho e enfrentamos problemas para escalar o time", disse o técnico, que vai levar para Atibaia todos os jogadores para a intertemporada em Atibaia. No jogo contra o União, que será como um treino, já vai dispor de Paulo César na lateral-direita e Fabinho na cabeça-de-área, além de Zé Elias, que voltou a treinar sem bola na quinta-feira. Se Gallo quiser, poderá escalar até Robinho e Ricardinho, que estarão de volta da Seleção Brasileira, que na quarta-feira enfrentará o Uruguai, em Montevidéu. O mais provável é que Gallo poupe os dois jogadores. Dos titulares mais importantes, a única dúvida vai continuar sendo Léo. Enquanto fazia fisioterapia para se recuperar de um problema ósseo no joelho esquerdo, o jogador sofreu uma crise renal no início da semana passada e teve que ficar internado num hospital de Santos por dois dias. O joelho está quase curado, mas ainda não expeliu o cálculo renal detectado no ultra-som. Léo até pode ser submetido a uma microcirurgia amanhã cedo, para ´bombardear´ a pedra. Se expelir espontaneamente o cálculo, viaja à tarde com o grupo. Esse trabalho de preparação em Atibaia é considerado importantíssimo por Gallo. Tanto que o time só deixará a concentração para viajar à Araras, onde enfrentará o União São João, quinta-feira, às 20h30, retornando ao hotel em seguida. "Encontrei o grupo muito mal fisicamente. Nos dois últimos jogos (assistiu das arquibancadas à derrota por 3 a 2 diante do Santo André e estreou sábado na vitória contra a Inter-Limeira), deu para perceber que o time perde a força no segundo tempo", analisa. "Os jogadores até podem correr mais uma hora além do tempo do jogo, mas não têm mais o mesmo pique, a velocidade e a força. Vamos treinar para melhorarmos nessa parte." Para Gallo, a queda na qualidade técnica do time em relação ao Santos campeão de 2004 com Vanderlei Luxemburgo se deve à mudança na preparação física dos jogadores. "Corrigida a parte física, haverá um crescimento natural do time também técnica e taticamente", explica o técnico. Antes de voltar à Libertadores, contra a Liga Deportiva Universitária, 6 de abril, na Vila Belmiro, o Santos vai enfrentar o União São João, quinta-feira e o São Paulo, domingo, provavelmente na Capital ou em Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.