Santos só pensa no Cruzeiro na quinta

A ordem mais uma vez foi cumprida e nesta terça-feira os jogadores do Santos estavam concentrados apenas no jogo contra o São Caetano, pela Sul-Americana. Essa é a forma do técnico Emerson Leão trabalhar seus atletas, evitando excesso de estresse e também sobrecarga. Foi por isso que, ao responder a uma pergunta sobre o jogo de sábado contra o Cruzeiro, William foi rápido. ?Respondo se você perguntar na quinta-feira." Leão também já pensa nesse confronto direto pela liderança, embora sempre diga que quer ?chegar em primeiro, não estar em primeiro". Há uma preocupação de ordem prática, que é a escalação do lateral-direito para substituir o suspenso Reginaldo Araújo. Pensa em Neném, não quer improvisar, mas fala que essa é uma possibilidade que ainda não está decidida. Uma vitória sobre o Cruzeiro desconta os três pontos que os santistas perderam no primeiro turno, em plena Vila Belmiro e pode ajudar muito no moral do time que busca o bicampeonato, mas Leão procura reduzir o confronto a uma partida normal, sem envolvimentos psicológicos. ?Uma vitória será importante não pelo aspecto psicológico, mas pelos três pontos mesmo." Leão tem destacado também que no ano passado seu time venceu o Cruzeiro no Mineiro e este ano perdeu na Vila Belmiro. ?Ganhamos de quatro lá e perdemos de dois em casa", comentou. ?Isso é uma evidência de que existe uma igualdade e que cada um pode vencer em qualquer lugar." Neném - O lateral-direito Neném deve iniciar pela primeira vez uma partida com a camisa do Santos no sábado, contra o Cruzeiro. Leão pretende utilizá-lo nesta quarta no segundo tempo contra o São Caetano para que o atleta ganhe ritmo de jogo. ?Ele já atuou 45 minutos num amistoso e agora precisa ir evoluindo mais; por isso estamos conversando muito, cobrando, porque ele é um daqueles atletas que ainda não está 100%." Neném está na Vila Belmiro há menos de dois meses e havia chegado fora de condições físicas. O lateral entende que esse período já passou. ?Fiz um trabalho para agüentar os 90 minutos e espero uma chance de jogar." O exigente Leão entende que ainda falta muita coisa. ?Toda vez que fazemos um trabalho, nós cobramos mais de alguns atletas porque eles não têm só de fazer manutenção, eles têm de se doar um pouco mais para adquirir a condição ideal."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.