Santos sofre empate em jogo polêmico

Torcedores do Botafogo erguiam os braços e gritavam toda vez que Robinho perdia a bola num confronto direto com algum defensor da equipe carioca. Foi assim em pelo menos três lances. A resposta veio numa pedalada. Bastou ao craque santista ensaiar os passos de uma dança já conhecida até em Madri para silenciar o Estádio Luso-Brasileiro. No momento do gol de Diego, de cabeça, que só completou o cruzamento de Robinho, podia-se ouvir apenas o ruído de motor dos aviões que chegavam ou partiam do Aeroporto Internacional Tom Jobim, ali mesmo na Ilha do Governador.A jogada mais bonita da partida não foi, porém, suficiente para que o Santos vencesse o Botafogo. O empate por 3 a 3 pode ser atribuído em parte às falhas da defesa do time visitante e de pelo menos um erro grave da arbitragem: Heber Roberto Lopes deixou de marcar um pênalti indiscutível do zagueiro Emerson, do Botafogo, em Diego, quando o jogo estava 0 a 0. O árbitro teve atuação conturbada: além de ter mostrado 15 cartões, assinalou no final um pênalti duvidoso de Flávio em Alex Alves, o que implicou no terceiro gol do Botafogo e na expulsão da lateral do Santos.Saulo chegou a defender a primeira cobrança. Mas Roberto Lopes mandou repetir a cobrança: o goleiro se adiantara antes da finalização de Alex Alves. Na segunda vez, o artilheiro do Botafogo não desperdiçou a oportunidade.Além de Robinho, Giovanni foi outro que se destacou no clássico. No último gol de sua equipe, ele tocou de calcanhar para Wendel, sem marcação, deixar Élton livre, tendo a frente somente o goleiro do Botafogo. O resultado foi bom para o time carioca. Mas não serviu para ofuscar a humilhação sofrida pelo lateral Oziel. Ele ficou atônito, sem reação, diante das pedaladas de Robinho. O atleta do Botafogo ainda teve de ouvir um corinho irônico e raivoso da torcida de seu time: "El, el, el, tira o Oziel." O técnico Péricles Chamusca atendeu o pedido e recebeu aplausos.Ricardinho, num pênalti claro, foi quem marcou o outro gol do Santos.Pelo Botafogo, Alex Alves, duas vezes, e Emerson fecharam o placar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.