Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Santos sofre, mas marca nos acréscimos e arranca empate com Red Bull Bragantino

Equipe de Fernando Diniz ficou atrás no placar duas vezes, mas alcançou igualdade e evitou mais um revés fora de casa

Bruno Accorsi, Especial para o Estadão

18 de julho de 2021 | 22h59

Mesmo com o jogo decisivo pela Copa Sul-Americana na próxima quinta-feira, o Santos foi a campo com força máxima neste domingo, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, com a missão de derrubar o último invicto do Brasileirão e não conseguiu, mas viveu grandes emoções. Com um gol marcado por Marcos Leonardo no último minuto do segundo tempo, o time comandado por Fernando Diniz arrancou um empate por 2 a 2 contra o Red Bull Bragantino.

Apesar de emocionante, o empate na partida válida pela 12ª rodada do Brasileirão deixa o Santos apenas em 10º lugar, com 16 pontos, ainda sem vencer fora de casa no campeonato nacional. Já o time do interior paulista segue sem nenhuma derrota, mas perde a vice-liderança para ficar na quarta colocação, com 24 pontos.

A ideia do Santos era ficar com a bola nos pés e rodar até encontrar espaços no campo de defesa adversário, mas a estratégia foi por água abaixo ainda no início da partida. Aos nove minutos, a troca de passes santista falhou da pior maneira possível, quando Kaiky perdeu bola dominada no campo de defesa e viu Aderlan arrancar em velocidade até entrar na área e soltar para Alerrandro, que apenas empurrou para o fundo da rede.

Os santistas mal se recuperaram do baque e por pouco não levaram o segundo após lindo chute de Cuello, da meia-lua. João Paulo não saiu do lugar e apenas observou o travessão ser atingido. O torcedor mais animado que esperava a continuidade da pressão bragantina se decepcionou, pois foi por aí que ela parou. O que se viu durante boa parte do restante do primeiro tempo foi muito nervosismo, jogadores reclamando e pouca produção ofensiva, principalmente do time da Vila Belmiro.

Assim como no início do primeiro tempo, o Santos manteve a posse de bola nos primeiros minutos da etapa final, só que dessa vez mostrou mais organização e eficiência para penetrar a defesa. A rede chegou a ser balançada pelo time da casa aos dez minutos, mas a arbitragem marcou impedimento de Alerrandro, em um raro lance de ataque da equipe do interior no momento em que os santistas dominavam a partida.

Investindo majoritariamente em jogadas pelo lado direito, a equipe comandada por Fernando Diniz conseguia dar trabalho ao Bragantino, mas foi do lado esquerdo que nasceu o gol de empate. Substituto de Moraes, que pediu para sair ainda no primeiro tempo, o lateral Felipe Jonatan acertou um belo cruzamento para dentro da área. O baixinho Marcos Guilherme cabeceou, parou em grande defesa de Cleiton e fez no rebote, aos 24 minutos.

O empate traduziu bem o que vinha sendo o segundo tempo até aquele momento. Nos minutos seguintes, contudo, o Santos perdeu o ritmo e viu o Bragantino crescer na partida. Então, aos 37 minutos, Ytalo aproveitou cruzamento certeiro feito por Arthur e deixou o time da casa novamente em vantagem no placar. Quanto tudo parecia perdido, o Santos contou com a estrela de Marcos Leonardo, que entrou em campo aos 42 minutos e fez o gol do empate aos 50, aproveitando rebote após cabeceio de Madson.

Agora, os dois times dão uma pausa no Brasileirão para tentar a classificação às quartas de final da Copa Sul-Americana. O Santos volta a campo na quinta-feira, em Avellaneda, na Argentina, onde encara o Independiente no jogo de volta das oitavas, após vitória por 1 a 0 na Vila. O Red Bull Bragantino, que venceu o Independiente Del Valle por 2 a 0 na Colômbia, joga um dia antes, na quarta-feira, novamente no Nabi Abi Chedid.


FICHA TÉCNICA:

RED BULL BRAGANTINO 2 x 2 SANTOS

RED BULL BRAGANTINO - Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Natan e Weverson (Luiz Felipe); Lucas Evangelista, Raul (Fabrício Bruno) e Praxedes (Eric Ramires); Cuello, Alerrandro (Ytalo) e Helinho (Artur). Técnico: Maurício Barbieri.

SANTOS - João Paulo; Pará (Madson), Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Kaiky e Moraes (Felipe Jonatan); Camacho, Carlos Sánchez (Vinícius Zanocelo) e Gabriel Pirani (Lucas Braga); Marinho, Kaio Jorge e Marcos Guilherme. Técnico: Fernando Diniz.

GOL - Alerrandro, aos 9 minutos do primeiro tempo. Marcos Guilherme, aos 24, Ytalo, aos 37, e Marcos Leonardo, aos 50 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Carlos Sánchez, Luiz Felipe, Cuello, Felipe Jonatan, Léo Ortiz, Marcos Leonardo, Marinho, Vinícius Zanocelo e Weverson.

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira (SP).

RENDA E PÚBLICO - Sem torcida.

LOCAL - Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.