Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Santos tem pior público e renda do ano em goleada sobre o Luverdense

Partida válida pela Copa do Brasil atraiu apenas 3.590 pagantes para a Vila Belmiro

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

11 Maio 2018 | 10h58

A vitória do Santos por 5 a 1 sobre o Luverdense, na noite de quinta-feira, praticamente assegurou a classificação do time às quartas de final da Copa do Brasil, mas também registrou dois recordes negativos do clube em 2018: a estreia da equipe no torneio nacional teve os piores público e renda do clube como mandante nesta temporada.

+ Confira a tabela da Copa do Brasil

A partida na Vila Belmiro atraiu apenas 3.590 pagantes para a Vila Belmiro, número inferior aos 3.816 que acompanharam a derrota por 3 a 1 para o São Bento na rodada final da primeira fase do Campeonato Paulista, um duelo que tinha atrativos menores, pois a equipe já estava garantida nas quartas de final do torneio estadual e o técnico Jair Ventura escalou um time formado apenas por reservas.

A renda de R$ 90.725 também foi a menor do Santos em 2018. A pior arrecadação do time, até então, nesta temporada era de um outro jogo na Vila Belmiro, também do Paulistão, o triunfo por 2 a 0 sobre o São Caetano, que teve receita de R$ 92.490.

O clima nos últimos dias no Santos era de pressão e cobranças, cenário que se repetiu na noite de quinta. O time vinha de duas derrotas na temporada, sendo a última delas a dura goleada de 5 a 1 aplicada pelo Grêmio no domingo, em duelo válido pelo Campeonato Brasileiro, em Porto Alegre.

O revés provocou protestos da torcida ainda no domingo, com pichações na subsede do Santos em São Paulo. Os torcedores também fizeram protestos nas proximidades da Vila Belmiro antes do início do jogo com o Luverdense. Além disso, dentro do estádio, ainda cobraram o time, especialmente durante o primeiro tempo, quando a equipe chegou a estar em desvantagem, teve atuação irregular e foi ao intervalo com o placar empatado por 1 a 1.

Após o jogo, em sua entrevista coletiva, Jair Ventura, garantiu encarar as cobranças dos santistas com tranquilidade, dando razão aos torcedores. "Se eu estivesse no lugar do torcedor, eu também protestaria. Nossa única forma de reverter isso é com trabalho. Esse jogo não vai apagar o que aconteceu lá, porque o passado é imutável, mas podemos fazer um futuro melhor", disse o técnico.

Depois de se recuperar com a goleada sobre o Luverdense, o Santos voltará a jogar ao lado do seu torcedor. No domingo, o time vai receber o Paraná, na Vila Belmiro, pela quinta rodada do Brasileirão.

Mais conteúdo sobre:
futebol Santos Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.