Santos tem pressa em contratar reforços

O Santos tem pressa na contratação de reforços. Mas a cada rodada do Campeonato Brasileiro fica mais difícil contratar jogadores que atuam no País, que só podem se transferir para os outros clubes se atuarem no máximo seis vezes pelo seu time. Além disso, os europeus entrarão na concorrência no mês que vem, podendo dificultar as negociações e até mesmo levar atletas cuja permanência está nos planos da diretoria. Para a Copa Libertadores da América, não há mais como inscrever jogadores, mas o Santos sabe que perderá o zagueiro Alex e o volante Paulo Almeida para o futebol europeu no segundo semestre, em plena disputa do Brasileiro. Dininho, do São Caetano, e Fabinho, do Corinthians, são os preferidos de Luxemburgo, mas estão jogando por seus times. Luís Alberto, do Atlético-MG, também pode chegar. Além de atletas para ocupar as posições de zagueiro e volante, o clube busca um meia, que pode ser Ricardinho. Mas para isso é preciso que o atleta se acerte com o São Paulo, pagando ou se liberando da multa de R$ 2 milhões estipulada para o caso dele defender algum clube brasileiro até o final do ano. Como será difícil um acordo com o clube do Morumbi, o meia pode buscar seus direitos na Justiça e os santistas aguardam esse desfecho para anunciar a contratação, já acertada verbalmente. Ao lado da necessidade de contratar, o Santos vai procurar manter atletas que podem deixar a Vila Belmiro em julho. Renato e Léo têm essa possibilidade prevista no contrato, mas revelam que pretendem continuar até o fim do ano. Já o contrato de André Luís termina no final de junho, sendo mais um jogador que pode deixar o clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.