Santos teme ter criado um monstro

O Santos, apontado por boa parte dos esportistas como melhor time do Brasil e favorito à conquista do título brasileiro, pode ter criado um monstro com a derrota para o São Paulo por 1 a 0, domingo, no Morumbi. De acordo com os próprios santistas, o clube da capital, com os 3 pontos no clássico, passou a ser fortíssimo concorrente à briga pela taça, ultrapassando, para muitos, até o Atlético-PR, atual líder da competição nacional. "Se tivéssemos vencido no fim de semana, mataríamos o São Paulo, mas não conseguimos e, por isso, ganhamos um concorrente perigoso", declarou o goleiro Mauro, que se firmou entre os titulares com boas atuações. "O São Paulo mostrou que está forte ao ganhar da gente." Como não poderia deixar de ser, atletas e comissão técnica do Santos citam também o Atlético e o São Caetano como candidatos ao primeiro lugar - Palmeiras e Juventude praticamente não vêm sendo lembrados -, mas temem especialmente os são-paulinos, pela forma como reagiram no Brasileiro. Os comandados de Emerson Leão, em excelente fase, conquistaram cinco vitórias seguidas, algumas delas expressivas. O número de oportunidades de gol criadas no clássico chamou a atenção. Não é comum, nos últimos meses, um time levar tanto perigo ao Santos. O técnico Vanderlei Luxemburgo vem explorando bastante o lado psicológico dos jogadores e fez questão de ressaltar, antes mesmo do confronto de domingo, que um tropeço não mudaria a condução do trabalho. Ao mesmo tempo, tem consciência de que a vitória são-paulina teve peso importante para o restante da competição. "O campeonato está aberto, indefinido", comentou. "O resultado não nos afeta, mas não gostaríamos que o São Paulo encostasse tanto (tem 3 pontos a menos), porque é um time de peso, com excelente comissão técnica, e, agora, vai crescer ainda mais", acrescentou Antônio Mello, preparador físico. O condicionamento físico, por sinal, é outro aspecto que preocupa.Segundo Mello, só um bom planejamento evitará o esgotamento de alguns atletas, por se tratar de fim de ano e início de uma pequena maratona. A equipe enfrenta, quarta-feira, o Flamengo e, no sábado, recebe o Fluminense em São José do Rio Preto. Na próxima semana, uma viagem nada agradável. A delegação seguirá para Quito - e sua altitude de 2.850 metros - para enfrentar a LDU pelas quartas-de-final da Copa Sul-Americana. Luxemburgo já decidiu que usará time reserva no Equador, pois, como diz há tempo, a prioridade é o Brasileiro. Os titulares permanecerão no Brasil treinando com Mello. Hoje, as estrelas do Santos passaram a maior parte do tempo descansando, em São Paulo, antes da viagem para o Rio. Os reservas foram ao Parque do Ibirapuera, onde fizeram treino físico, debaixo de leve chuva e praticamente sem público - o mau tempo afastou os freqüentadores do Ibirapuera. O confronto com o Flamengo, no Rio, é considerado vital para as pretensões do time. Nova derrota poderia afetar o moral do grupo na fase decisiva do torneio. "Mas estamos confiantes, podemos conseguir bom resultado contra o Flamengo", observou Mauro, que, justamente contra o Flamengo, teve uma das melhores participações com a camisa alvinegra. Foi no segundo jogo da primeira fase da Sul-Americana, em setembro, quando defendeu dois pênaltis. "Espero repetir aquela atuação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.