Santos tenta tirar lição da primeira decepção do ano

Depois do empate em 1 a 1 com o Marília, Márcio Fernandes disse que não é o momento para lamentação

Redação,

30 de janeiro de 2009 | 10h28

SÃO PAULO - O Santos poderia ter encerrado o mês de janeiro com 100% de aproveitamento na temporada 2009. Após a vitória em amistoso sobre a Portuguesa Santista, a equipe bateu Guaratinguetá e Noroeste nas duas primeiras rodadas do Campeonato Paulista e tinha tudo para superar o Mirassol na noite de quinta-feira na Vila Belmiro. Mas o gol de Wesley no último minuto decretou o empate e estragou a alegria da torcida. Veja também:Santos leva gol no último lance e cede empate ao Mirassol Fábio Costa assume culpa pelo empate e reclama da bolaSantos lamenta chances perdidas e empate no fim Paulistão 2009 - Tabela e classificaçãoConfira as novidades do mercado do futebol Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão No entanto, para o técnico Márcio Fernandes este momento não é de lamentação. "Não temos que baixar a cabeça, este tipo de coisa acontece dentro do campeonato e não foi só o Santos que teve este tipo de problemas. Deixamos de somar dois pontos, mas podemos recuperar mais na frente", declarou.   Para ele, neste início de ano o essencial é saber jogar com adversários que estão há mais tempo se preparando. "Faltou a tranquilidade de permanecer com a bola no pé no fim da partida, jogar ela de um lado para o outro, afinal estávamos com o jogo decidido e sabemos que eles estão com uma condição física melhor", assinalou.   O comandante ainda pediu calma para a torcida. "É claro que o torcedor sempre quer ver o time partindo para cima e fazendo gols, mas eles tem que entender que neste momento é preciso calma pois o tempo de trabalho na pré-temporada foi curto", assinalou.   Para o goleiro e capitão do Santos, Fábio Costa, o importante é que o time segue entre os líderes do campeonato Paulista. Mas ele alertou que a equipe precisa ganhar em maturidade.   "Que fique de lição, pois pecamos em alguns momentos cruciais", assinalou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.