Santos treina pênaltis, mas Claudinei nega retranca

O Santos abriu vantagem no confronto com o Grêmio ao vencer o jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil por 1 a 0, mas o técnico Claudinei Oliveira negou que o time irá atuar retrancado no duelo desta quarta-feira, em Porto Alegre. Mesmo assim, precavido, ele treinou cobranças de pênalti na atividade desta terça-feira no CT Rei Pelé.

AE, Agência Estado

27 de agosto de 2013 | 14h33

Além disso, o trabalho foi fechado para a imprensa. "O treino fechado não quer dizer que não quero revelar o time. No entanto, vamos treinar pênaltis, apesar de não esperamos chegar nessa situação. Porém, temos que estar preparados", disse.

Claudinei prometeu que o Santos não vai alterar a sua postura, apostando no talento de Montillo, Thiago Ribeiro e Gabriel no setor ofensivo. "Nossa postura não vai mudar. É o sistema que a gente vem jogando, sofrendo poucos gols, com o Thiago evoluindo, tem a chegada do Montillo também e com o Gabriel, que tem feito os gols", afirmou.

Apesar disso, o técnico santista minimizou a importância do time fazer um gol como visitante diante do Grêmio. "Muda história sim, mas o gol não garante a classificação. Antes de nos enfrentar, eles vinham com uma media de três gols por jogo. Esse gol qualificado, nesse sentido de uma bola, te salva. O Grêmio tem time para fazer dois, três. Mas temos que jogar propondo o jogo e não podemos esperar o Grêmio jogar e esperar as coisas acontecerem, temos que fazer acontecer também", comentou.

No comando do Santos desde a saída de Muricy Ramalho, Claudinei disputa contra o Grêmio o seu primeiro mata-mata na equipe profissional. E ele garantiu que o seu retrospecto nas categorias de base do clube sempre foi bom.

"Na base, fui campeão do Paulista Sub-15, 17, 20 e da Copa São Paulo.Nos torneios regionais, tive sorte em mata-matas. Já na Copa do Brasil, que disputei ano passado, pelo Sub-20, fui eliminado pelo Bahia nas quartas. Tive mais sucesso do que fracasso", disse o treinador santista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.