Santos: Último "reforço" será Deivid

O Santos ainda não definiu a data da apresentação de Giovanni, que começa nesta quarta-feira a treinar no CT Rei Pelé para evitar que o retorno do líder do time de dez anos atrás pudesse desviar as atenções do jogo contra o Atlético Paranaense, pela Copa Libertadores. Com esse reforço, o ciclo de contratações está fechado e os dirigentes vão agora concentrar seus esforços na solução do problema envolvendo Deivid, que corre o risco de ficar fora da final da copa latina.O atacante tem contrato com o Bordeaux, da França, e o empréstimo ao Santos termina no final do mês de junho. Os franceses não estão dispostos renovar esse empréstimo, anunciando que pretendem negociar o atleta em definitivo. O motivo dos franceses para isso é que Deivid e o treinador do time, Michel Pavon, não se entendem e o clube pretende recuperar o investimento que fez.Os santistas querem fazer uma parceria com o Bordeaux, pagando metade da multa rescisória (US$ 3 milhões), concordando em dividir os lucros de uma futura negociação. Por outro lado, os franceses pretendem aguardam para ver se aparece uma proposta melhor.Giovanni - Caso o centroavante tenha mesmo de deixar a Vila Belmiro, seu substituto está pronto: é Giovanni, artilheiro do Olympiakos nas últimas temporadas e que concluiu nesta terça-feira os exames médicos para jogar pelo Santos. Gallo ainda não definiu como pretende utilizar o jogador, mas admitiu que, se ele tiver força física para atuar como meia, jogará mais recuado.Mas a primeira missão de Giovanni será substituir Robinho, que passará este mês na seleção se os dirigentes não conseguirem sua liberação da Copa das Confederações. Nesse caso, ele formaria a dupla de ataque com Deivid até o retorno da principal estrela do time.Giovanni foi o último jogador contratado para a temporada e o Santos reforçou sua equipe com jogadores indicados por Gallo, como Wendel, Elton, Fabiano, Luciano Henrique e outros. O objetivo é ter um elenco grande para poder administrar a disputa simultânea do Brasileiro e a Libertadores.O treinador resolveu escalar o time praticamente com os novos reforços no clássico de domingo contra o Palmeiras e o time acabou perdendo por 2 a 1. A intenção daqui para a frente, porém, é ir dando oportunidades a eles, mas escalando-os para jogar ao lado dos titulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.