Divulgação
Divulgação

Santos usa a Vila para bater o Goiás e se fortalecer no G-4

Equipe santista aposta na força de seu estádio para ganhar e subir

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

18 de outubro de 2015 | 08h12

As 10 vitórias seguidas na Vila Belmiro no Campeonato Brasileiro colocam o Santos como favorito destacado diante do Goiás, que está na zona de rebaixamento, neste domingo, às 17 horas, pela 31.ª rodada. O time é quase imbatível em casa. Confirmar esse favoritismo é fundamental para sustentar a posição no G-4.

Com a derrota para o Grêmio por 1 a 0, no Sul, o Santos desperdiçou a chance de abrir vantagem para os concorrentes diretos - São Paulo, Palmeiras, Internacional e Flamengo haviam perdido. Agora, restou apenas uma vaga em aberto para a Copa Libertadores do ano que vem. "Acho que uma vaga está aberto. Perdemos para o Grêmio, que soube construir o resultado, e agora teremos de correr atrás", disse o técnico Dorival Júnior.

O Goiás foi o rival que indiretamente contribuiu com a chegada de Dorival Júnior. No jogo pelo primeiro turno, a goleada por 4 a 1 causou a demissão de Marcelo Fernandes, que voltou a ser auxiliar.

O principal motivo de confiança dos santistas é o retorno de Ricardo Oliveira. Depois de ser convocado para os dois primeiros jogos das Eliminatórias, o atacante foi poupado na derrota em Porto Alegre, mas estará de volta. Gabriel, seu substituto, não conseguiu marcar presença na área, ficou devendo nas finalizações, levou cartão amarelo e ainda foi expulso. Por isso, será desfalque nas duas próximas partidas. "Foi muito importante voltar à seleção, ser protagonista, mas agora estou de volta e com foco na manutenção dessa vaga no G-4", disse o atacante.

Os parceiros de Ricardo Oliveira ainda não estão definidos. Marquinhos Gabriel e Neto Berola têm as maiores chances - Leandro foi mal em Porto Alegre e Geuvânio deve estar recuperado apenas no jogo de quarta-feira contra o São Paulo, pela Copa do Brasil.

Lucas Lima, que atuou bem tanto pela seleção e como em Porto Alegre, vai completar 100 jogos pelo Santos e deverá ser homenageado. "Não podemos vacilar dentro de casa. É a nossa maior força", disse o meia.

O problema de Dorival Júnior será realmente a defesa, onde existem bem menos opções. O lateral-direito Victor Ferraz está com lombalgia e dificilmente terá condições de jogar; David Braz está suspenso pelo terceiro cartão amarelo e Gustavo Henrique ainda não se recuperou do desgaste muscular na região da virilha.

O único confirmado é Werley, que teve boa atuação contra o Grêmio, apesar de ser sempre contestado pela torcida. Para acompanhá-lo, o técnico pode escolher entre Paulo Ricardo e Leonardo. "Já joguei com Braz, Gustavo, Paulo, tem o Leonardo também. Temos que manter a postura na Vila, como sempre fizemos. Pressionar o adversário e contar com a torcida para que possamos matar o jogo", afirmou Werley.

O próprio zagueiro já entregou a estratégia do jogo: sufocar para conseguir uma vantagem logo no início da partida e não permitir que o Goiás surpreenda nos contra-ataques.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.