Santos usa Robinho para recuperar cota extra com a televisão

Clube recebia R$ 10 milhões de bônus na época de Neymar e quer novo acordo. Presidente dá coletiva sobre o reforço nesta quinta

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2014 | 05h00

O Santos espera conseguir de volta, com a chegada de Robinho, o bônus de R$ 10 milhões que recebia da Rede Globo quando tinha Neymar no elenco. A cota extra era destinada a manter o atacante no clube até o fim de seu contrato, que terminaria em julho deste ano, mas foi retirada com a ida do craque para o Barcelona no meio do ano passado. Agora, o clube vai tentar reavê-la, sob a alegação de que com Robinho a TV vai transmitir mais jogos do Santos e a audiência será maior.

Robinho, inclusive, quer reestrear com a camisa santista no domingo, às 16 horas, no clássico contra o Corinthians, na Vila Belmiro. Com ele em campo, o Santos jamais perdeu para o rival - são oito jogos, sete vitórias e um empate.

No entanto, a vontade de Robinho pode não ser suficiente para fazê-lo jogar. Seus assessores e o clube não deram informações sobre o que falta para a assinatura e o registro do contrato na CBF a tempo de enfrentar o Corinthians. O presidente do Santos, Odílio Rodrigues Filho, convocou uma coletiva para esta quinta-feira, às 12 horas, para falar da transferência de Robinho.

Uma fonte ligada ao Comitê de Gestão do clube confidenciou que o Santos, com assistência da advogada do craque, Marisa Alija Ramos, trabalha contra o relógio na redação dos contratos do clube com o atleta e do Santos com o Milan. Nesta quinta Robinho deve assinar e pode até participar do treino das 16 horas, no CT Rei Pelé, que vive momentos de euforia com a volta do terceiro maior ídolo da história santista, atrás apenas do Rei Pelé e de Neymar.

Robinho saiu da Itália na terça-feira, desembarcou no Aeroporto de Guarulhos no fim da madrugada de quarta-feira e cinco horas depois comemorou o retorno ao Santos com a disputa de uma partida de futevôlei com amigos nas areias do Canal 6 (Ponta da Praia). Antes do meio-dia, voltou de bicicleta para o seu apartamento. "Com técnica e disciplina, dando sangue com amor! Pela bandeira que ensina lutar com fé e ardor" foi o trecho do hino do clube que ele escolheu para postar no Twitter, como primeira mensagem ao torcedor, abaixo de uma foto em que ele beija o escudo da camisa do clube. 

Ainda de acordo com a fonte ligada ao Comitê de Gestão, o contrato terá duração de um ano, com uma cláusula de rescisão sem ônus se o Milan receber proposta de venda na janela de inverno de transferência da Europa, em janeiro de 2015. O Santos chegou até onde sua difícil situação financeira permitia: vai arcar sozinho com salário mensal de R$ 500 mil. O valor poderá se tornar bem maior com os bônus a que o jogador terá direito se houver aumento na venda de camisas oficiais, crescimento de sócios e na presença de público nos jogos do time na Vila Belmiro e Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.

Apesar do alto salário, Robinho caiu do céu para o Santos, num momento de turbulência política que o clube atravessa, a quatro meses das eleições presidências. Sem contar que nenhum outro reforço teria como Robinho a possibilidade de chegar e provocar uma transformação no time. 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCRobinhoBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.