Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Santos vai à Fifa contra Neymar e Barcelona e cobra indenização

Modesto Roma Júnior anuncia ação judicial em entrevista coletiva

Estadão Conteúdo

29 de maio de 2015 | 14h13

O Santos anunciou nesta sexta-feira que entrou com uma ação na Fifa pedindo ressarcimento por supostos danos causados ao clube na transação de venda de Neymar para o Barcelona, a exatos dois anos. A demanda arbitral santista é contra o clube espanhol, o jogador, seu pai e a empresa Neymar Sport e Marketing Ltda.

Emocionado, o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior anunciou a ação em entrevista coletiva, no Litoral, e explicou seus motivos. De acordo com ele, a documentação obtida pela Justiça da Espanha demonstra que a negociação de Neymar envolveu mais de 83 milhões de euros, mas o Santos só recebeu 17,1 milhões, além de outros 2 milhões que serão pagos se o craque for finalista da Bola de Ouro da Fifa. O jogador, seu pai e sua empresa teriam ficado com a maior parte do dinheiro.

"O Santos considera que Barcelona, Neymar e a empresa dele incorreram em violações do contrato de transferência, em razão do que reclama indenização dos prejuízos, mais juros e despesas. O Santos ainda considera que as partes, mais os dirigentes do Barcelona que participaram da contratação, podem ter incorrido a violações sobre o regulamento de transferências da Fifa, o que poderá impor alguma sanção", explicou Modesto Roma.

O presidente do Santos recorreu à Fifa porque o contrato entre Santos e Barcelona prevê que qualquer pontos controverso se resolveria na Câmara de Resolução de Disputas da Fifa. O lado prejudicado poderá apelar, depois, à Corte Arbitral do Esporte.

Durante sua fala, Modesto Roma reiteradas vezes afirmou que a demanda judicial não altera a relação de carinho entre Santos e Neymar. " Não estamos demandando contra o ídolo, estamos demandando em prol do Santos. Não poderíamos nos omitir nesta ação e não nos omitiremos em nada que seja a favor do Santos. Temos o Santos como sendo maior do que suas partes. Respeitamos a todos e a suas imagens, mas precisamos ressarcir os prejuízos causados ao clube."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.