Santos vai de time B em Florianópolis

O Santos entra em campo, neste domingo, contra o Figueirense com apenas um titular: o zagueiro Luís Alberto. Essa foi a opção do clube, que antecipou as férias para que no dia 26 possa começar a pré-temporada.Mesmo sendo uma partida apenas para cumprir tabela, o técnico interino Serginho Chulapa acha que vai ser importante. "Não vale nada em termos de classificação, mas para mim e para o elenco, é muito importante", disse ele. "Não estamos indo lá para passear, mas para ganhar os três pontos", completou, indicando que seu time pode chegar em sexto lugar se vencer e contar com alguns resultados de outros jogos.Saulo volta ao gol e as laterais serão ocupadas por dois novatos: Zé Leandro e Carlinhos. Rogério e Luís Alberto serão os zagueiros, enquanto a dupla de volantes será formada por Heleno e Wendel, já que Bóvio se contundiu no treino de sexta-feira e não poderá ser escalado. A armação das jogadas ficará com Luciano Henrique e Léo Lima, enquanto Basílio e Cláudio Pitbull serão os atacantes.Para a maior parte desses jogadores, será mais uma oportunidade de mostrar serviço num momento delicado, em que o clube planeja uma radical reformulação para o ano que vem. Além disso, o grupo fechou com o técnico Serginho e a vontade de dedicar a vitória ao treinador interino é uma motivação a mais para essa partida que é quase um amistoso."O pessoal que ficou tem de ir para Santa Catarina e fazer o melhor", disse o zagueiro Luís Alberto. Para ele, o jogo contra o Figueirense pode não valer em termos de classificação, mas é importante para os atletas jovens que terão mais uma oportunidade de mostrar seu futebol. "Eles estão sempre esperando uma chance e desta vez poderão jogar e mostrar seu valor".O jogo contra o Figueirense vai ser especialmente importante para dois jogadores: o goleiro Saulo e o zagueiro Rogério. Eles e mais Halisson foram banidos do time logo depois da humilhante goleada de 7 a 1 para o Corinthians e só agora foram escalados por Serginho Chulapa."A bomba estourou em cima de nós, saímos do time e não tivemos a oportunidade de nos redimir", disse o goleiro Saulo. Ele e seus dois companheiros estão até com dificuldades de andar nas ruas da cidade, pois os torcedores fazem impiedosas cobranças pelo vexame. Por isso, tudo o que ele quer é realizar uma boa partida para deixar a goleada cada vez mais para trás.

Agencia Estado,

04 de dezembro de 2005 | 09h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.