Santos vai fazer jogo de paciência

Os santistas têm uma certeza: o Universidad do Chile vai disputar a partida de quarta-feira com o regulamento na mão. A maior vantagem é a de jogar pelo empate e, por isso, os jogadores do Santos esperam mais um adversário retrancado. Pior: é preciso muito cuidado para não sofrer gols, que terão peso maior para os chilenos na Vila Belmiro. "Creio que o adversário vai jogar de forma defensiva, como todos os que jogam contra o Santos na Vila Belmiro e nosso time vai ser agressivo, intenso", disse o técnico Gallo, que não vai poder contar com o goleiro Henao e com o lateral-direito Paulo César. Henao foi vetado pela luxação no quarto dedo da mão direita e o médico Carlos Braga considerou uma temeridade colocá-lo em campo com uma imobilização na área atingida. Além disso, o atleta reclama de dores no ombro. Já o lateral-direito Paulo César passou por exames, foi constatado estiramento na coxa e deve ficar entre 10 e 15 dias afastado do elenco. Segundo Carlos Braga, foi uma lesão de pequena gravidade, mas que atingiu um músculo importante, "o bíceps da coxa, que é muito ativo". Mauro continuará no gol santista até a recuperação de Henao. Hoje, era para ter sido inscrito mais um atleta Libertadores, mas até o final da tarde isso não havia sido feito. A tendência maior é a escolha do zagueiro Altair, já que o time perdeu Antônio Carlos e Domingos. Pode também escolher Wendel, que joga na lateral, como volante e na meia. CUIDADOS - Para o jogo de quarta, o Santos terá o retorno dos volantes Fabinho e Bóvio, que foram poupados por Gallo no jogo de domingo contra o Atlético-MG. "Sabemos que vai ser um jogo difícil, de paciência", disse Fabinho. "Não vamos procurar a classificação logo no início, pois a atenção tem que ser grande para evitar o gol do adversário, que vale mais nos jogos fora de casa, e impor seu ritmo para fazer os gols que nos classifiquem". O técnico disse ainda que a parte defensiva do Santos está melhorando. "Não tomamos gol no domingo e é natural: a equipe entra em todos os jogos para não tomar e para fazer os gols". Fabinho conhece o Universidad e sabe que é um adversário forte. "Mas estamos preparados para isso e o importante é que o Santos não saia de seu ritmo". O que Fabinho sabe também é que o Santos precisa ter cuidado com o regulamento. "O gol fora de casa vale muito e é o último jogo, é o que vai classificar um time. Cada jogador tem que dar o máximo porque não tem jogo de volta e temos de vencer de qualquer forma".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.