Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Santos vai tentar anular expulsão de David Braz, diz presidente

Zagueiro foi expulso no clássico, mas quem fez a falta foi Zeca

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2015 | 17h51

O presidente Modesto Roma Junior afirmou que o departamento jurídico do Santos estuda um recurso para anular a expulsão do zagueiro David Braz no clássico contra o Corinthians. Embora o árbitro Flavio Guerra tenha declarado na súmula  - e reafirmado nesta segunda-feira - que o cartão vermelho foi dado por causa de ofensas e palavrões, Modesto argumenta que a expulsão foi dada equivocadamente por causa do pênalti. Quem fez a falta, na verdade, foi o lateral Zeca. 

"Nosso departamento jurídico está estudando como pleitear. Talvez caiba recurso para o David Braz", diz o presidente do Santos em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira. "Vamos pleitear o cartão. Porque a expulsão foi injusta", completou. 

Modesto afirmou que a súmula está errada. "Súmula é um documento. Ele (árbitro) tenta iludir o chefe dele. Errou na expulsão, na súmula. Talvez por pressão demasiada. Eu disse uma vez que a culpa era do chefe deles. Hoje digo que não é mais, é do chefe do chefe", declara Modesto sem citar o nome de Sergio Correa, chefe da comissão de arbitragem.

No segundo tempo do clássico, o atacante Vagner Love sofreu pênalti de Zeca. Alertado pelo assistente Rogério Pablos Zanardo, o árbitro assinalou a falta, mas expulsou David Braz, entendendo que ele havia sido o infrator. No final do jogo, Zeca admitiu a falta, e David nega as ofensas ao árbitro. "Todos já viram o lance do pênalti. Aí você pega súmula do senhor Flavio Rodrigues Guerra e lê que foi uma expulsão por reclamação", diz Modesto.

O mandatário afirma que não discute a penalidade. "Foi pênalti, não discuto. Discuto que a pressão é grande na arbitragem, árbitros são induzidos a erros, como esse de falsear na súmula. Quem vê a gravação, vê que isso é falso. Ele não pode ter dito e ouvido isso que ele relata na súmula!", diz o presidente. 

Em entrevista à ESPN Brasil, o árbitro Flavio Guerra reconhece que não identificou o autor do pênalti, mas reafirma que Braz foi expulso por ofendê-lo. "Não conseguimos identificar o atleta. Por isso, expulsamos apenas um jogador, que veio reclamar acintosamente comigo e o auxiliar depois da marcação. Se tivesse visto, teríamos duas expulsões, a do Zeca pelo pênalti, e a do David pela reclamação. Então, o erro foi não ter expulsado o Zeca", comentou.

A expulsão de David Braz e também a de Werley, por reclamação, serão analisadas pelo STJD. Paulo Schmitt, procurador-geral do órgão, analisa o comportamento dos dois jogadores e pode denunciá-los. Com isso, os zagueiros podem perder mais jogos além do confronto contra o Internacional, domingo, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBrasileirãoSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.