Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Santos: Val Baiano é novidade em Curitiba

O Santos terá uma novidade no jogo deste sábado contra o Paraná, em Curitiba: a estréia do centroavante Val Baiano, que até a semana passada atuava no futebol paranaense. Leão optou por ele depois que Marcelo, que participou de todo o coletivo, acabou se contundindo nos últimos minutos do treinamento e perdeu a oportunidade de estrear na equipe santista. No trabalho de hoje, o técnico procurou corrigir os defeitos que vem observando em seu time, especialmente o posicionamento da defesa e do meio-de-campo, que têm aberto espaço para o aproveitamento dos adversários. Por isso, a receita que Leão passou para seus jogadores: "não podemos cometer erros para que os adversários não os usem com sucesso". Na opinião do treinador, seu time teve uma boa performance contra o Atlético-MG. "Teve uma boa conduta de recuperação e depois entregou", disse ele, lamentando o empate de quarta-feira. Com a escolha de um centroavante de ofício, Leão mexeu o menos possível no time, que não terá Robinho, Nenê e Júlio César, suspensos. Assim, Elano volta a atuar na meia, com liberdade para avançar mais. O treinador destacou que "o Elano não é um jogador de meio-de-campo, é um atleta moderno que ajuda na zona em que está e provou mais uma vez que é imprescindível a qualquer técnico". Elano treinou na meia e, com a contusão de Marcelo, chegou a pensar que voltaria a jogar como centroavante, mas depois foi informado que Leão havia optado por Val Baiano. "Treinei no meio-de-campo e não tem problema algum", disse o atleta. Para ele, a constante mudança de função não traz problemas: "estou à vontade para fazer as várias funções, estou me acostumando com isso, o que está sendo útil para mim e para a equipe". Leão passou também para seus jogadores a necessidade de não mais desperdiçar as oportunidades de chegar ao topo do campeonato. "Já tivemos essa chance de passar o Cruzeiro várias vezes e não aproveitamos", disse o volante Paulo Almeida, para quem "os erros do último jogo foram corrigidos no coletivo e não serão repetidos". Para ele, é importante que o time chegue na liderança para ter mais tranqüilidade nessa fase de maior disputa do campeonato. O meia Diego também está preocupado com os vacilos da equipe. "O professor Leão passou tudo o que fizemos de bom e de ruim no jogo contra o Atlético-MG e temos de corrigir as imperfeições, não podemos vacilar como temos feito". O treinador havia reclamado em entrevista que os adversários não estão permitindo que Diego jogue, cometendo faltas assim que ele pega na bola. O atleta concorda com o técnico: "a marcação individual vem acontecendo com maior freqüência e as faltas existem mesmo", disse. Para Diego, seu tipo de jogo "favorece tomar um pouco mais de pancada de que seus companheiros" e se mostra aliviado pelo fato de os juízes marcarem as faltas que sofre.

Agencia Estado,

08 de agosto de 2003 | 16h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.