Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Santos vê classificação como 'mudança de história', mas admite buscar variações

Técnico do time, Jorge Sampaoli, cobra evolução da equipe para o mata-mata do Estadual

Redação, Estadão Conteúdo

03 de março de 2019 | 10h46

A alegria no Santos após a vitória por 3 a 2 sobre o Oeste, na noite de sábado, no Pacaembu, não era apenas pelo triunfo assegurado no último lance, com o gol marcado por Victor Ferraz, mas pela classificação antecipada às quartas de final do Campeonato Paulista, obtida mesmo com o time ainda tendo três jogos a realizar na primeira fase do torneio.

A conquista da vaga precoce mostra que o Santos superou as expectativas do começo da temporada, quando era visto como um mero coadjuvante no Estadual, como lembrou o técnico Jorge Sampaoli. Assim, ele exaltou um grupo que começou 2019 desacreditado, mas que tem conseguido responder em campo, deixando o time com a melhor campanha do Paulistão, com 22 pontos somados em nove jogos, na liderança do Grupo A.

"É uma alegria muito grande. Um grupo de jogadores que ninguém confiava e foi crescendo com o tempo. Sabemos que no mata-mata será mais difícil. Mas valorizo esse grupo de jovens que mudou a história que todos imaginavam. Fico muito contente. Temos muitos jogadores que encontraram um valor que não tinham", disse.

Não foi, porém, fácil para o Santos superar o Oeste. O time ficou duas vezes em desvantagem, no primeiro tempo, conseguiu empatar o placar e busco a vitória até o fim. Cedeu espaços ao Oeste, que desperdiçou oportunidades de gol, mas conseguiu o triunfo no fim. "Gostei muito da decisão da equipe no segundo tempo", disse Sampaoli, satisfeito com o ímpeto dos seus jogadores.

A dificuldade contra o Oeste, porém, também deixa um alerta ao Santos. Afinal, em seu compromisso anterior, também sofreu e acabou sendo eliminado da Copa Sul-Americana ao só empatar por 1 a 1 com o uruguaio River Plate. Assim, o time sabe que precisar encontrar alternativas para ser mais eficiente no ataque. "Somos uma equipe que propõe o jogo o tempo todo. Temos que encontrar maneiras de ter variantes no ataque", admitiu o treinador.

O Santos voltará a jogar na quinta-feira, quando receberá o América-RN, no Pacaembu, pela segunda fase da Copa sul-americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.