Santos vence a primeira fora de casa e já pensa no G-4

Após a vitória por 1 a 0 sobre o São Caetano, time de Leão fica a três pontos da zona de classificação

Tercio David, estadao.com.br

16 de março de 2008 | 18h17

E o Santos venceu o seu primeiro jogo fora de casa em 2008. O feito aconteceu neste domingo, no Estádio Bruno José Daniel, em Santo André, diante do São Caetano. Com a vitória, por 1 a 0, o time ainda se mantém com chances de se classificar para a próxima fase.   Veja também:  Classificação  Calendário e resultados  Santistas dizem que vitória poderia ter sido mais tranqüila  Leão diz que Santos está perto da vaga no G-4  Jogo do Paulistão atrasa por falta de ambulância   O resultado deixou o time de Emerson Leão com 23 pontos, quatro atrás do quarto colocado Corinthians, o último virtualmente classificado para às semifinais. O São Caetano segue com 19 pontos e já começa a se preocupar com o risco de entrar na zona rebaixamento.   Na próxima rodada, o Santos visita o Guaratinguetá, no Professor Dario Rodrigues Leite, no domingo. Na véspera, o São Caetano enfrenta o Ituano, em Itu. Antes, o time da Vila Belmiro viaja até a Bolívia para enfrentar o San Jose, na quarta-feira, pela Libertadores.   ATRASOO jogo sofreu um atraso de 19 minutos por conta da ausência da ambulância. De acordo com o Estatuto do Torcedor, nenhuma partida pode ocorrer sem a presença de uma equipe médica, com aparelhos necessários para qualquer tipo de emergência. "É ruim. Manter o aquecimento, principalmente com este tempo ruim, fica complicado", comentou o técnico Emerson Leão.   PÊNALTIO lance mais discutido do jogo aconteceu aos 20, quando o goleiro Fabio Costa cortou um cruzamento na área santista e, antes de chutar a bola para frente, empurrou o lateral do São Caetano Neto Gaúcho. Pênalti claro, que o árbitro Marco Antonio de Oliveira não marcou.   TRAVE TRÊS VEZESDepois de tanta confusão, finalmente um grande lance para levantar a torcida. Aos 24, Sebastian fez uma boa jogada pela esquerda e cruzou. A bola passou por todos na pequena área e chegou até Wesley que, sozinho, conseguiu chutar na trave.   A segunda bola na trave do Santos no primeiro tempo aconteceu aos 38, quando Molina recebeu na entrada da área e acertou um belo chute. Mais uma vez o destino foi o poste esquerdo de Júlio Cesar.   A terceira bola na trave do primeiro tempo foi aos 45. Wesley recebeu na frente, passou pelo goleiro, que ainda conseguiu desviar. A bola sobrou limpa para Kleber Pereira, que fez pose para fazer o gol, com goleiro caído e tudo, mas chutou torto e acertou o travessão.    São Caetano 0 Júlio César    ; Neto Gaúcho, Aderaldo e Tobi; Rogério (Athos), Galiardo, Hernani, Douglas e Andrezinho (Galvão); Rafinha (Canindé) e Tico Técnico: Pintado  Santos 1 Fábio Costa; Adoniran, Domingos    , Betão e Kleber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto, Molina (Marcelo) e Sebastian (Renatinho); Kléber Pereira     e Wesley (Vitor Junior). Técnico: Emerson Leão Gols: Kleber Pereira, aos 29 minutos do primeiro tempo.Árbitro: Marco Antonio de Oliveira SáRenda: Não disponívelPúblico: Não disponívelEstádio: Bruno José Daniel, em Santo André (SP). É GOLO primeiro gol do Santos saiu em uma cobrança de escanteio. Kleber cobrou aos 29, Tico tentou tira pelo alto, mas só resvalou de cabeça e acabou ajeitando para a chegada de Kleber Pereira, que desviou de barriga para marcar.   CAMISA 1E nem só de um camisa 9 vive um grande time. Fabio Costa também brilhou. Aos 41, depois de uma cobrança de falta alçada na área, a bola sobrou para Galiardo, que mandou uma bomba quase da linha da pequena área para um verdadeiro milagre do camisa 1, que espalmou para escanteio.   SEGUNDO TEMPO FRIO No segundo tempo, o Santos voltou mais interessado em não sofrer o empate do que marcar o segundo. O São Caetano também não conseguiu passar pela forte marcação santista e ameaçou pouco o gol de Fábio Costa.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCSão CaetanoPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.