Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Santos vence América-MEX e abre vantagem nas oitavas da Libertadores

Ainda que pequena, vantagem do Santos permite que time precise só de um empate no México

FELIPE MENDES, Agência Estado

27 de abril de 2011 | 23h46

SÃO PAULO - Sob os olhares do Rei Pelé, presente nas tribunas da Vila Belmiro, o Santos fez a lição de casa nesta quarta-feira e abriu vantagem no confronto das oitavas de final da Copa Libertadores, ao derrotar o América, do México, por 1 a 0, diante de sua torcida.

A vitória, ainda que pelo placar mínimo, dá ao time brasileiro a vantagem de jogar por um empate na partida da volta, na próxima terça-feira, no México. O América, que poupou alguns titulares de olho no Campeonato Mexicano, aposta no jogo em casa para reverter o resultado.

Antes do segundo duelo das oitavas de final, o Santos voltará a campo neste sábado para enfrentar o São Paulo na semifinal do Campeonato Paulista, no Morumbi. Se vencer, garante vaga na decisão do Estadual e espera pelo vencedor do clássico entre Palmeiras e Corinthians, que jogarão no domingo.

Buscando abrir vantagem para o jogo da volta, o Santos foi para o ataque desde os primeiros instantes da partida. Apresentava maior presença no setor ofensivo, sem dar chance ao rival no meio-campo, mas quase não levava perigo ao gol mexicano.

As poucas oportunidades que surgiam eram neutralizadas pela boa marcação do América. Com dificuldade para abrir espaço, o Santos valorizava as trocas de passe, mas sem descuidar da defesa, revelando maior apuro tático, o que contrastava com suas atuações na fase de grupos.

Aos poucos, o toque de bola santista começou a dar resultados. Envolvida pelo maior volume de jogo do rival, a defesa mexicana perdeu o ímpeto do início da partida e começou a ceder espaço. Danilo criou a primeira boa chance de gol da partida, aos 34, ao bater de fora da área, por cima do travessão.

Quatro minutos depois, Ganso também apostou na finalização de longe e foi mais feliz que Danilo. O meia recebeu assistência de Neymar na entrada da área, dominou com categoria e bateu rasteiro no canto esquerdo do goleiro Ochoa: 1 a 0.

Em desvantagem, o América reagiu no segundo tempo e buscou mais o ataque, equilibrando a partida. A mudança na postura dos visitantes abriu espaço para o Santos no ataque. Logo aos 2 minutos, Zé Eduardo quase marcou o segundo gol, ao chutar rente à trave esquerda do goleiro mexicano, depois de receber passe de Ganso.

As oportunidades se sucediam no ataque, mas o time santista não conseguia aumentar a vantagem no placar. Elano desperdiçou duas chances, em perigoso chute da entrada da área, e em cobrança de falta, aos 27 minutos. Na sequência, Jonathan invadiu a área pela direita, escapou da marcação e quase marcou. Seu chute foi desviado para fora.

Insatisfeito com a vantagem mínima no marcador, o técnico Muricy Ramalho tentou melhorar a movimentação do setor ofensivo com as entradas de Alan Patrick e Adriano nos minutos finais. Sem sucesso, o treinador precisou se contentar com o placar de 1 a 0.

SANTOS - 1 - Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Danilo, Elano (Adriano) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Zé Eduardo (Alan Patrick). Técnico: Muricy Ramalho.

AMÉRICA- 0 - Ochoa; Cervantes (Layun), Mosquera, Valenzuela e Rojas; Reyes, Olivera (Sánchez), Rosinei e Vuoso (Reyna); Martínez e Márquez. Técnico: Carlos Reinoso.

Gol - Paulo Henrique Ganso, aos 38 minutos do primeiro tempo. Cartões amarelos - Danilo, Adriano (Santos); Rojas, Mosquera (América). Cartão vermelho - Layun (América). Árbitro - Jorge Larrionda (Fifa-Uruguai). Renda - Não disponível. Público - 11.417 pagantes. Local - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Veja também:

som ESTADÃO-ESPN: "Jogo foi difícil, mas time se portou bem", diz Muricy

som ESTADÃO-ESPN: Santos abre o placar na Vila

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.