Santos vence América na Vila: 3 a 0

O Santos venceu hoje o América-RJ por 3 a 0, na vila Belmiro, na estréia de ambos no Torneio Rio-São Paulo, mas sofreu para chegar a esse resultado. Os santistas mantiveram o domínio total da partida e só aos 40 minutos do segundo tempo é que chegaram ao primeiro gol: o zagueiro Cléber marcou de cabeça, numa cobrança de escanteio. A partir daí, as coisas ficaram fáceis e Robert marcou aos 46 na cobrança de falta e o novato Willians completou aos 50 minutos, no gol mais bonito da partida. Antes do jogo, o centroavante Oséas foi apresentado como novo reforço e o gerente de futebol, Ilton José da Costa, anunciou que foram abertas negociações com o Fluminense para a troca, por empréstimo, do zagueiro André Luís pelo atacante Roni. O Santos dominou a partida desde o início, mas a fragilidade do América-RJ foi compensada pela excelente atuação do goleiro Marcelo Leite. O time da casa mostrou nessa estréia no Rio-São Paulo um futebol sem criatividade e muita falta de entrosamento. Isso, até os 15 minutos do segundo tempo, quando o técnico Celso Roth ousou: substituiu Eduardo Marques e Thiago por Diego e Willians, dupla do time de juniores. "Foi uma atuação normal desses dois jogadores, que estão em melhor ritmo de jogo que os demais", disse o treinador, evitando exagerar nos elogios aos novatos. Mas bem que eles merecem a saudação que receberam dos torcedores, que ficaram impressionados com a atuação dos dois. Logo no primeiro lance, num rápido contra-ataque pela direita, Diego recebeu a bola dentro da área, girou para driblar um adversário e foi derrubado. O juiz Leonardo Gaciba da Silva marcou pênalti, que Robert acabou desperdiçando ao chutar a bola na trave. Diego e Willian deram nova movimentação ao ataque, acabando com a força defensiva do Atlético, que até então suportara bem a pressão santista. O primeiro gol, porém, só surgiu aos 40 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Cléber aproveitou a cobrança de um escanteio para marcar. Robert, seis minutos depois, cobrou falta no canto esquerdo do goleiro Marcelo Leite, sem chances de defesa e aos 50 minutos, a dupla Diego-Willians apareceu mais uma vez. Diego deu um bonito passe para o companheiro fechar o marcador. Depois do jogo, Diego estava satisfeito com a estréia no time principal, mas manteve a humildade: "acho que fui bem e agora é trabalhar para manter uma boa seqüência, o que é mais difícil". Willian revelou que Celso Roth pediu para a dupla fazer o que já estava acostumada no time de juniores: "Felizmente, deu certo", comentou. Cléber ficou satisfeito com a vitória. "Para a estréia, foi um bom resultado e sabíamos que chegaríamos a ele com paciência", disse, acrescentando: "mas falta ainda muita coisa para acertar na equipe".

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2002 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.