Santos vence e assume a vice-liderança

No embate entre os dois últimos campeões brasileiros, o Santos, que ostenta o atual título, levou a melhor, nesta quinta-feira à noite, na Arena da Baixada, em Curitiba, vencendo o Atlético Paranaense por 2 a 0. Com oito alterações em relação ao time que vinha atuando, o Santos readquiriu o entrosamento no primeiro tempo e deu as cartas no segundo, dominando completamente o adversário. O resultado coloca o time na vice-liderança do campeonato, dois pontos atrás do Cruzeiro. A meta agora é a liderança no sábado, quando joga contra o Grêmio, e torce por um tropeço do time mineiro. O Atlético, ao contrário, volta a sentir a pressão da torcida, que não se conforma com apenas 26 pontos. Ao fim da partida, os gritos de ?vergonha" ecoaram na Arena. O time joga contra o Vasco, domingo, em São Januário. O jogo começou com muitos toques de bola no meio-de-campo, sem que nenhum dos times mostrasse poder ofensivo. O Atlético foi o primeiro a encontrar o caminho do ataque. Aos 9 minutos, depois de cobrança de escanteio, Igor pegou o rebote e chutou forte, mas a bola bateu nos defensores. O Santos chegou somente aos 15 minutos, em cabeçada de Fabiano, depois de cruzamento de Reginaldo Araújo. A bola passou raspando a trave. O Atlético, que tinha começado a partida de forma insegura, melhorou a partir dos 15 minutos, apesar das deficiências técnicas de alguns jogadores, como o lateral Alessandro, que insistia em jogadas individuais e matava os ataques. O Santos, com jogadores mais técnicos, encontrava dificuldade para livrar-se da pegada adversária. Aos 21 minutos, quando Elano apareceu de surpresa no ataque e, livre, permitiu a defesa do goleiro. O jogo ganhou ainda mais movimentação depois dos 30 minutos, quando o juiz Edílson Soares da Silva marcou uma falta na entrada da área muito contestada pelos jogadores atleticanos. O Atlético partiu com mais consistência para o ataque, mas as deficiências nos arremates eram constantes. Isso permitia o contra-ataque ao Santos, que criando as oportunidades de gol, principalmente nas cobranças de falta. O atacante Nenê entrou no segundo tmepo e, logo aos 7 minutos mostrou porque é um dos artilheiros do Santos mesmo estando na reserva. Numa cobrança de falta próximo à linha de falta, Elano deu um toque para tras e Nenê estufou as redes. Tranquilo, o Santos passou a dar espaço e a atrair os jogadores atleticanos, para explorar os contra-ataques. Aos 13 minutos, o zagueiro Igor falhou no meio-de-campo, Renato roubou a bola, tocou para Fabiano, que devolveu para o meia bater da entrada da área com precisão.

Agencia Estado,

30 de julho de 2003 | 22h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.