Santos vence nos pênaltis e mantém sonho do tetra no Paulistão

A equipe da casa conta com o goleiro Rafael, herói da classificação ao defender duas cobranças. No outro jogo, Mogi faz 6 a 0 no Botafogo

GABRIEL MELLONI, Agência Estado

27 de abril de 2013 | 18h37

SANTOS - Foi sofrido, mas o Santos venceu o clássico com o Palmeiras nos pênaltis, neste sábado, na Vila Belmiro, e se tornou o primeiro semifinalista do Campeonato Paulista desta temporada. Após o empate por 1 a 1 no tempo normal, a equipe da casa contou com o goleiro Rafael, herói da classificação ao defender duas cobranças - de Kleber e Leandro -, para eliminar o rival e garantir o direito de brigar por uma vaga na decisão. Além disso, o time santista mantém o sonho de conquistar um inédito tetracampeonato estadual.

No outro confronto da semifinal, deu Mogi, que bateu o Botafogo por 6 a 0, e agora fará a decisão com o Santos. Campeão em 2010, 2011 e 2012, o Santos pode se tornar o primeiro time a conquistar o Campeonato Paulista quatro vezes consecutivas na era profissional. Para isso, precisa de mais duas vitórias, a começar pela semifinal, na qual enfrenta o Mogi Mirim.

O Santos respondeu no minuto seguinte. Arouca tabelou com Montillo e tentou cruzar, mas a bola pegou efeito e foi na direção do gol. Bruno estava esperto e evitou o gol santista. Mas na cobrança de escanteio, não teve jeito. Neymar dominou sozinho dentro da área e bateu cruzado, de esquerda. A bola não ia na direção do gol, mas Cícero desviou e marcou.

O gol embalou Neymar, que passou a mostrar seu repertório de dribles. Em lance pela esquerda, ele passou como quis por Ayrton, deixou Henrique para trás e cruzou. André só não marcou o segundo porque Marcelo Oliveira estava esperto e tirou antes que ela chegasse no atacante. O Palmeiras, que estava melhor, sentiu o gol e já não levava mais perigo ao adversário.

O jogo ficou pegado, com muitas faltas e poucas chances de gol, até os últimos minutos do primeiro tempo. Até que, aos 37, Edu Dracena ganhou pelo alto, tocou de cabeça para tirar do zagueiro e encheu o pé de fora da área. Bruno desviou a bola, que ainda bateu no travessão, e impediu um golaço.

O Santos voltou melhor para o segundo tempo e viu Neymar perder gol incrível aos dez minutos. A bola foi lançada da defesa, Montillo correu para bola e, ao ver o auxiliar levantar a bandeira, desistiu. Cícero aproveitou-se disso, da desatenção da zaga palmeirense e arrancou. Na entrada da área, rolou para Neymar, que, sozinho, bateu em cima de Bruno.

A resposta do Palmeiras veio três minutos depois. Leandro recebeu lançamento de frente para Rafael, tirou do goleiro e, na hora de bater para o gol vazio, foi desarmado por Léo. Aos 20, Vinícius recebeu na intermediária e bateu forte, a bola passou rente à trave.

Com o Palmeiras no ataque, o Santos aproveitava-se dos contra-ataques, mas Neymar não estava mesmo em seus melhores dias e perdeu outra chance inacreditável aos 34 minutos. Ele foi novamente lançado em contra-ataque, saiu sozinho de frente para Bruno, mas bateu em cima do goleiro. No rebote, Miralles bateu para o gol vazio, mas Maurício Ramos salvou.

As chances perdidas por Neymar fariam falta porque o Palmeiras chegaria ao empate aos 38 minutos. Souza recebeu pela direita, cortou a marcação e cruzou de esquerda na medida para Kleber, que subiu sozinho no meio da zaga santista e cabeceou forte, sem chances para Rafael, garantindo o empate.

O jogo foi para os pênaltis e, logo na primeira cobrança, Kleber passou de herói a vilão, em pênalti defendido por Rafael. O goleiro pegou ainda a cobrança de Leandro. Souza e Wesley fizeram para o Palmeiras, mas Miralles, Cícero, Montillo e Renê Júnior marcaram para o Santos, garantindo a classificação para a equipe.

SANTOS 1 (4) X (2) 1 PALMEIRAS

SANTOS - Rafael; Alan Santos, Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior, Arouca (Marcos Assunção), Cícero e Montillo; Neymar e André (Miralles). Técnico: Muricy Ramalho.

PALMEIRAS - Bruno; Ayrton, Henrique, Maurício Ramos e Marcelo Oliveira; Márcio Araújo (Souza), Léo Gago (Kleber), Charles e Wesley; Vinícius (Maikon Leite) e Leandro. Técnico: Gilson Kleina.

GOLS - Cícero, aos 12 minutos do primeiro tempo. Kleber, aos 38 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Renê Júnior, Neto (Santos); Henrique, Márcio Araújo, Wesley (Palmeiras).

ÁRBITRO - Guilherme Ceretta de Lima (SP).

RENDA - R$ 443.755,00.

PÚBLICO - 14.172 pagantes.

LOCAL - Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP).

Atualizado às 21h

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.