Jorge Adorno/Reuters
Jorge Adorno/Reuters

Santos vence o Cerro e só depende de si para avançar na Libertadores

A equipe venceu por 2 a 1 e agora tem de vencer o Deportivo Táchira em casa na próxima semana

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

14 de abril de 2011 | 22h31

SÃO PAULO - O Santos deu nesta quinta-feira um grande passo para superar as previsões contrárias e se classificar à segunda fase da Copa Libertadores. No dia do seu aniversário de 99 anos, foi ao Paraguai sem Neymar e Elano, não se assustou com a torcida contrária e venceu o Cerro Porteño por 2 a 1, pela quinta rodada do grupo 5 da competição.

Com o resultado, o Santos foi aos mesmos oito pontos que o Cerro, permanecendo em terceiro porque tem pior saldo de gols (quatro a um). Na última rodada, porém, Cerro e Colo Colo se enfrentam em Santiago. Os brasileiros têm o Deportivo Táchira pela frente, no Pacaembu, e basta uma vitória simples para avançar. Se o jogo no Chile tiver um vencedor, o Santos só precisa de um empate, mas, se vencer, fica em primeiro do grupo.

Especulado no Corinthians, Paulo Henrique Ganso mostrou em Assunção que segue se dedicando ao Santos. Mesmo bem marcado, o meia se destacou e foi o responsável pela assistência que deu origem ao segundo gol santista, marcado por Maikon Leite. Danilo abriu o placar com um lindo chute no primeiro tempo. Benítez descontou no fim.

O JOGO - Se perdeu Neymar, Elano e Zé Eduardo por expulsões no jogo contra o Colo Colo, Muricy Ramalho ganhou três reforços nesta semana: Diogo, Arouca e Jonathan foram liberados pelo departamento médico. Apesar da má forma física do trio, principalmente dos dois primeiros, o treinador não hesitou em escalá-los como titulares.

Mesmo precisando vencer a qualquer custo, Muricy optava pela formação mais defensiva, uma vez que Arouca aparece menos no ataque que Elano e Diogo tem características menos ofensivas que Neymar. Com a bola rolando, porém, o treinador mostrou estar com a razão.

Até porque foi um dos três volantes santistas que abriu o placar. Aos 11 minutos, Danilo arriscou um chute de muito longe, a batida saiu seca e foi direto para o ângulo direito do gol defendido por Barreto, que não tinha como alcançar a pancada.

O mesmo Danilo teve, aos 25, a chance de fazer o segundo gol. Arouca, Ganso e Jonathan trocaram passes e o lateral cruzou para Danilo, que, livre na área, mandou por cima.

O Cerro Porteño até conseguia superar o meio-campo santista e chegar à entrada da área santista. Ali, parava na zaga paulista e era obrigado a arriscar de longe, sem assustar Rafael. O Santos aproveitava o contra-ataque para tentar o segundo e quase o fez com Maikon Leite, que substituiu Diogo no decorrer do primeiro tempo. O atacante recebeu ótimo lançamento de Keirrison, ganhou do zagueiro, driblou o goleiro, mas na hora do chute mandou em cima de Piris, que salvou quase sobre a linha do gol.

Logo aos 2 minutos do segundo tempo, porém, Maikon Leite se redimiu. Ganso roubou a bola na intermediária e tocou para o atacante, que entrou livre na área e bateu rasteiro. O goleiro ainda conseguiu desviar, mas não impediu o segundo gol santista.

Melhor homem em campo, Maikon Leite aproveitava os espaços dados pelo Cerro Porteño, principalmente na esquerda da zaga a cada novo ataque frustrado dos paraguaios. Aos 17, por exemplo, foi por ali que ele fez mais uma boa jogada, bateu cruzado e exigiu boa defesa de Barreto. Já perto do fim, Ganso teve a chance de marcar e fazer as pazes com a torcida, mas tentou por cobertura na cara do goleiro e facilitou a defesa.

Já nos acréscimos, Rafael foi obrigado a fazer duas defesas difíceis e, na terceira tentativa seguida do Cerro, Benítez marcou de cabeça.

CERRO PORTEÑO - 1 - Diego Barreto; Iván Piris, Pedro Benítez, Luis Cardozo e Lautaro Fórmica (Iturbe); Jorge Rojas (Nuñez), Javier Villarreal, Rodrigo Burgos e Iván Torres (Lucero); Jonathan Fabbro e Antonio Nanni. Técnico - Leonardo Astrada.

SANTOS- 2 - Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval, Léo; Arouca (Pará), Adriano, Danilo e Paulo Henrique Ganso; Diogo (Maikon Leite) e Keirrison (Alex Sandro). Técnico - Muricy Ramalho.

Gols - Danilo, aos 11 minutos do primeiro tempo, e Maikon Leite, aos 2, e Benítez, aos 48 minutos do segundo tempo. Árbitro - Martín Vázquez (URU). Cartões amarelos - Luis Cardozo, Rodrigo Burgos, Edu Dracena, Adriano e Arouca. Renda e público - Não disponíveis. Local - Estádio Pablo Rojas.

Veja também:

blog ANTERO GRECO - Santos ganha fôlego no dia do aniversário

blog DANIEL BATISTA - Com a cara do Muricy

som Estadão ESPN - Gols - 0x1 l 0x2 l 1x2

som Estadão ESPN - 'Ganso voltou a jogar no nível que está acostumado', diz Muricy

som Estadão ESPN - 'Queremos o Ganso até 2015; ele faz a diferença', diz presidente do Santos

som Estadão ESPN - Zé Boquinha comenta agressão do time paraguaio no fim do jogo

link Presidente do Santos diz confiar na palavra de Andrés Sanches

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.