Mauricio de Souza/Estadão
Mauricio de Souza/Estadão

Santos vira para cima do Inter e continua firme na luta pelo G-4

Alvinegro vence com gols de Marquinhos Gabriel, Gabigol e Leandro

Almir Leite, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2015 | 13h11

O Santos continua firme na briga pelo G-4 do Campeonato Brasileiro. Recuperou-se do tropeço diante do Corinthians ao vencer o Internacional por 3 a 1, na manhã deste domingo na Vila Belmiro. A vitória, a primeira em três jogos seguidos do time no horário matinal, leva a equipe a 43 pontos, a mantém no "bolo" e também a faz superar um concorrente direto - o time gaúcho tem 41 pontos. Agora, o Santos deixa um pouco de lado o Nacional para tentar confirmar a vaga a semifinal da Copa do Brasil no jogo com o Figueirense no meio da semana.

O técnico do Inter, Argel Fucks, já chegou reclamando do horário do jogo, por causa da alta temperatura - a partida começou com 27ºC. Poupou três jogadores - Réver, Rodrigo Dourado e Alex, para o jogo do meio de semana contra o Palmeiras pela Copa do Brasil, e como estratégia colocou seu time marcando atrás, com dois objetivos: explorar os contra-ataques e tentar desgastar fisicamente os jogadores do Santos, que tinha mais tempo de posse de bola, mas precisava correr mais para buscar chegar ao gol do adversário.

Além disso, colou William em Lucas Lima, e conseguiu anular o principal criador de jogadas pelo time santistas. William parava o meia na bola e principalmente com várias faltas, o que lhe valeu um cartão amarelo com meia hora de jogo.

Naquela altura, o Inter vencia por 1 a 0. O Santos era um pouco melhor, apesar das dificuldades de penetração, o time gaúcho apostava nos contra-ataques, mas "ganhou'' um pênalti de presente. Num lance na área após um escanteio, aos 24 minutos, Paulo Ricardo segurou Juan sem necessidade, pois a bola estava muito alta e o experiente zagueiro não iria alcançá-la. Heber Roberto Lopes marcou a penalidade, que após quase dois minutos de ter acontecido foi cobrada por Valdívia - nesse intervalo teve as reclamações de praxe e até "sumiço'' das bolas -, rasteira, no canto direito de Vanderlei.

Paulo Ricardo substituiu o suspenso David Braz, que fez falta. Assim como fez outro suspenso, o artilheiro do Brasileirão, Ricardo Oliveira, embora Nilson tenha se movimentado bastante.

O Santos não se abalou. Logo depois veio a parada médica para os jogadores de hidratarem, e o técnico Dorival Júnior aos jogadores um pouco mais de velocidade. O resultado veio rapidamente. Aos 36 minutos, num raro momento em que a defesa do Inter estava desarrumada, Nilson, que havia saído da área justamente para abrir espaço, lançou Marquinhos Gabriel. O meia penetrou pela esquerda, venceu marcação na corrida e bateu forte para empatar.

Depois do empate, o Santos cresceu. Criou algumas jogadas, sobretudo pelo lado esquerdo do ataque, e poderia até ter passado à frente no placar. O Inter passou a lançar todas as bolas em direção a Valdívia que, bem marcado, não levou vantagem em uma só jogada.

Com William e outro de seus volantes, WelliNgton, com cartão amarelo, Argel colocou no segundo tempo um novo marcador, Silva, para marcar individualmente Lucas Lima - William foi para a lateral direita.

E foi Silva quem se enroscou com Lucas Lima num lance na área do Inter. Heber considerou que o jogador do time gaúcho segurou o meia e marcou pênalti - usou o mesmo critério da penalidade que deu a favor do Inter. Gabriel cobrou no meio do gol, forte, alto, meio do gol, e virou o jogo. Detalhe: a falta ocorreu com 12m50. A cobrança ocorreu com 14s44. Novamente quase dois minutos perdidos.

A virada refletia o que estava ocorrendo em campo. Apesar de o ritmo do jogo ter caído por causa do calor, o Santos dominava a partida. Tinha mais opções de jogadas e não dava chances para o Inter contra-atacar. E quase fez o terceiro, num lance que Thiago Maia acertou o travessão.

Os gaúchos viviam das tentativas de Vitinho, pois Valdívia continuava bem marcado. E dos presentes de Paulo Ricardo. Foi o jovem zagueiro que voltou a falhar bisonhamente ao tentar rebater uma bola e deixou Valdívia em condições de empatar, o que só não ocorreu graças a uma grande defesa de Vanderlei.

Mas era o Santos quem mandava no jogo. O Inter cansou, afrouxou a marcação e o time da casa teve boas chances de ampliar até "matar'' a partida, aos 45 minutos, com Leandro - havia entrado no lugar de Nilson. Bem colocado na área, o atacante aproveitou bom um lance e fez o terceiro gol, sacramentando a vitória do melhor time em campo.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 X 1 INTERNACIONAL

GOLS - Valdívia (pênalti), aos 26, Marquinhos Gabriel, aos 36 minutos do primeiro tempo. Gabriel (pênalti), aos 15, e Leandro, aos 45 minutos do segundo tempo.

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Paulo Ricardo e Zeca; Renato, Thiago Maia (Léo Citadini) e Lucas Lima (Serginho); Gabriel, Marquinhos Gabriel e Nílson (Leandro). Técnico: Dorival Júnior.

INTERNACIONAL - Alisson; Léo (Silva), Paulão, Juan e Ernando; Nilton, Willian, Wellington (Alex Santana) e Anderson (Taiberson); Valdívia e Vitinho. Técnico: Argel Fucks.

JUIZ - Heber Roberto Lopes (SC).

CARTÃO AMARELO - Paulo Ricardo, William, Wellington, Juan e Silva.

RENDA - R$ 452.145,00.

PÚBLICO - 11.043 pagantes.

LOCAL - Vila Belmiro, em Santos.


Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCfutebolInterBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.