Santos vira sobre o Atlético-GO em casa e volta a vencer

Vindo de duas derrotas seguidas e um empate, o Santos se recuperou em grande estilo na noite desta quarta-feira. Mesmo desfalcado e não tendo uma grande atuação, o time fez um bom segundo tempo para buscar a virada sobre o Atlético-GO e vencer por 4 a 2 na Vila Belmiro. Neymar foi o destaque, mas três jogadores do banco de reservas marcaram os últimos gols da vitória - Madson, Alan Patrick e Marcel.

RAFAEL BRAGANÇA, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 21h45

O triunfo em casa deixa o Santos novamente perto do G-4 do Campeonato Brasileiro. Abrindo a 22.ª rodada e ainda com um jogo a menos, o time do técnico Dorival Júnior soma 34 pontos, provisoriamente em quinto. O Atlético, por sua vez, voltou a ser derrotado após vencer o líder Fluminense e segue na zona de rebaixamento, com 20 pontos.

Pela próxima rodada, o Santos poderá contar novamente com Durval e Arouca, que não atuaram na Vila por suspensão. O lesionado Zezinho também tem chances de voltar. O time joga no domingo, contra o Guarani, em Campinas, no Brinco de Ouro. Já o Atlético-GO, ainda brigando para deixar as últimas colocações, recebe o Atlético-PR no Serra Dourada.

O JOGO - Nos primeiros instantes da partida, o Atlético-GO não se importou por atuar na Vila Belmiro e saiu para o jogo, buscando a vitória fora de casa. Mas logo a equipe goiana assumiu o seu papel de time visitante e viu o Santos crescer, ficando mais com a posse de bola.

O domínio do Santos, porém, era apenas territorial, e a equipe tocava a bola sem grande objetividade. Com isso, o Atlético aproveitou para também agredir o adversário quando ia à frente. Foi assim aos 13 minutos, quando o time goiano surpreendentemente abriu o placar na Vila. Robston passou pela marcação, invadiu a área e chutou na trave. No rebote, Josiel não desperdiçou.

Após o gol, o Santos não teve a reação que era esperada. O time seguiu sem brilho, apenas tocando a bola. Neymar, mesmo apagado, ainda era o que mais tentava criar jogadas no ataque santista. Marquinhos e Keirrison porém, não apareciam para o jogo. A única chance de gol veio aos 37 minutos, quando Alex Sandro chutou de longe e Márcio defendeu.

Ainda no primeiro tempo, o Atlético fez duas alterações. Lesionado, Josiel saiu para a entrada de Diogo Galvão. Logo depois, René Simões impressionou ao colocar o atacante William no lugar de Pituca, que já tinha recebido um cartão amarelo. O volante saiu visivelmente inconformado de campo.

Para o segundo tempo, o Santos também voltou modificado. Dorival foi ousado e substituiu Pará pelo meia Alan Patrick. Assim, Danilo foi deslocado para a lateral direita. Ainda antes dos 15 minutos, o técnico santista também tirou Keirrison, que saiu sentindo dores na coxa, e colocou Marcel. No Atlético, René trocou Diguinho por Juninho.

A etapa complementar foi bem mais movimentada que a primeira. Logo aos cinco minutos, o Atlético ampliou a vantagem. Após cobrança de escanteio, a bola chegou até William, na entrada da área, e ele mandou no canto de Rafael. O troco do Santos veio na sequência. Neymar cobrou falta e alçou a bola na área, onde Edu Dracena estava para cabecear e diminuir o prejuízo santista.

Daí pra frente, o jogo ficou todo para o Santos, com o Atlético apenas tentando os contra-ataques. No último lance de Keirrison, ele fez belo passe de calcanhar e deixou Neymar na cara do gol, mas Márcio fechou o ângulo e impediu o gol. O goleiro voltou a se destacar em mais três lances, em chutes de Roberto Brum e Neymar e numa falta cobrada por Marcel.

Mas o goleiro do time goiano não conseguiu impedir a virada fulminante do Santos, logo após o árbitro não marcar um pênalti para o Atlético. Madson, que tinha entrado no lugar do apagado Marquinhos, fintou a marcação de bateu colocado da entrada da área, fazendo 2 a 2 aos 30. Quatro minutos depois, o mesmo Madson aproveitou a falha da zaga e fez o passe para Alan Patrick, que bateu com frieza, no canto.

Decretada a virada, o Santos ainda teve calma para seguir buscando mais gols, enquanto o Atlético seguia atordoado por ver a vitória fora de casa escapar. Destaque do jogo, Neymar tentou jogada individual e foi derrubado na área por Daniel Marques. Desta vez o pênalti foi marcado e Marcel não desperdiçou, batendo no ângulo, já aos 38 minutos.

Ficha técnica:

Santos 4 x 2 Atlético-GO

Santos - Rafael; Pará (Alan Patrick), Edu Dracena, Bruno Aguiar e Léo; Roberto Brum, Danilo, Alex Sandro e Marquinhos (Madson); Neymar e Keirrison (Marcel). Técnico: Dorival Júnior.

Atlético-GO - Márcio, Vitor Ferraz, Daniel Marques, Jairo e Thiago Feltri; Ramalho, Pituca (William), Diguinho (Juninho) e Robston; Elias e Josiel (Diogo Galvão). Técnico: René Simões.

Gols - Josiel, aos 13 minutos do primeiro tempo; William, aos cinco, Edu Dracena, aos seis, Madson, aos 30, Alan Patrick, aos 34, e Marcel (de pênalti), aos 38 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Edu Dracena (Santos); William e Pituca (Atlético-GO).

Árbitro - Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS).

Renda - R$ 99.315,00.

Público - 3.873 pagantes.

Local - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.