Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Santos vira sobre o Palmeiras na Vila e amplia jejum do rival

Alviverde perdeu todos os jogos contra times da Série A neste ano

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

12 Março 2015 | 00h13

Um clássico disputado, com gols bonitos, virada e emoção do início ao fim, como projetava o técnico Oswaldo de Oliveira, que deixou a Vila Belmiro sem ter o que comemorar. O Santos venceu o Palmeiras por 2 a 1 em noite que serviu para ver que Ricardo Oliveira não perdeu a categoria de outrora e que a equipe alviverde ainda não está pronta para grandes desafios.

Foi o terceiro jogo do Palmeiras contra times da Série A do Brasileiro do ano, sendo o segundo clássico e todos foram resultados negativos (havia perdido por 1 a 0 para Ponte Preta e Corinthians). Oswaldo de Oliveira precisa encontrar o equilíbrio para atacar sem desproteger a defesa e, quando acoado, saber sair da pressão. Já o Santos, mesmo sem técnico, se mantém invicto no torneio estadual e o novo treinador receberá um time que parece bem ajustado.

Antes de a bola rolar, um bom e um mau exemplo pôde ser visto na Vila Belmiro. A torcida do Santos xingou bastante Arouca e foi assim até o término da partida. O ex-santista foi recebido aos gritos de "Mercenário" e "Arouca, vai se f..., saiu do Santos para jogar a Série B". E alguns torcedores jogaram moedas em direção ao volante.

Depois, o oposto. A maioria dos jogadores santistas foram dar um abraço em Oswaldo de Oliveira, com quem trabalharam até setembro do ano passado. Visivelmente emocionado, o treinador foi chamado pelo atacante Gabriel de pai. As cordialidades acabaram quando a partida começou.

O Palmeiras começou com tudo. Como treinado na terça-feira, o time marcou a saída de bola do rival e praticamente tomou conta da partida, explorando principalmente o lado direito com Dudu e Lucas. O Santos, perdido, tentava se encontrar antes de ser vazado. Não deu tempo.

Aos 7 minutos, Robinho cobrou escanteio no meio da área, Vitor Hugo pulou muito alto e de cabeça colocou o visitante na frente. Foi o estopim para fazer o Santos acordar e ver que estava em um clássico.

Robinho e Lucas Lima foram os responsáveis por colocar o time na tomada e fazer a pressão mudar de lado. Assim como o Palmeiras apostou tudo em seu lado direito, o Santos fez o mesmo, mas antes tentou pela esquerda, sem sucesso. Geuvânio e Lucas Lima tiveram boas oportunidades e Fernando Prass evitou o empate.

Até que aos 27, Ricardo Oliveira saiu da área, fez uma rápida jogada pela esquerda e cruzou no meio da área, onde Renato apareceu de surpresa, livre, e mandou para as redes, deixando o placar mais justo.

Dois minutos depois quase saiu a virada. Robinho fez bonita jogada individual pela esquerda, cortou para o meio e bateu cheio de curva. A bola acertou a trave de Prass. Para sair do campo de defesa, o Palmeiras tentava dar lançamentos para a área. Sem sucesso, apostou nos toques pelo meio, mas a defesa santista, que era uma peneira no início do jogo, se acertou.

PRESSÃO ALVINEGRA

Arouca, que a cada toque na bola ouvia muita vaia, claramente estava irritado ou intimidado com a pressão, pois estava irreconhecível. Distribuiu pancadas, algo que não condiz com seu futebol, e errou lances simples. Por tanto, Oswaldo tinha que apostar em outra forma de surpreender o rival, enquanto Marcelo Fernandes precisava fazer sua equipe manter o ritmo, sem abrir demais a defesa.

No segundo tempo, o time alvinegro manteve a intensidade, com a diferença de apostar mais em seu lado esquerdo. Oswaldo então colocou João Paulo na lateral para reforçar a marcação. Nem deu tempo da alteração surtir efeito. Aos 16, Robinho lançou da direita para Ricardo Oliveira, que dividiu com Vitor Hugo, ficou com a bola e esbanjando frieza, bateu por cima de Prass e fez um belo gol.

A virada abalou o Palmeiras. Oswaldo ainda colocou Gabriel Jesus aos 35 para tentar algo diferente, mas o time já não tinha forças para criar jogadas. O Santos parecia estar satisfeito e fez por merecer a vitória.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 1 PALMEIRAS

SANTOS - Vanderlei; Cicinho, Werley, David Braz e Victor Ferraz; Valencia, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Gabriel), Robinho (Thiago Ribeiro) e Ricardo Oliveira (Elano). Técnico: Marcelo Fernandes (interino).

PALMEIRAS - Fernando Prass; Lucas, Tobio, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Arouca, Allione (João Paulo) e Robinho (Gabriel Jesus); Dudu e Cristaldo (Leandro). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

GOLS - Vitor Hugo, aos 7, e Renato, aos 27 minutos do 1º tempo; Ricardo Oliveira, aos 16 minutos do 2º tempo.

ÁRBITRO - Thiago Duarte Peixoto.

CARTÕES AMARELOS - Geuvânio, Arouca, Ricardo Oliveira, Lucas Lima e Valência.

PÚBLICO - 11.416 pagantes.

RENDA - R$ 360.960,00.

LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.