Santos: Vitória para reencontrar a paz

Depois de uma semana tumultuada, com as atenções divididas entre as decisões da justiça desportiva e os treinamentos, o Santos espera uma vitória sobre o São Paulo às 20h30 deste sábado para ficar mais próximo da vaga para a Copa Libertadores, único objetivo que o time persegue, já que as chances de conquista do Brasileiro são pequenas.Diante da possibilidade de suspensão do goleiro Saulo e do meia Giovanni, Nelsinho Baptista não teve outra alternativa e montou o time com Mauro no gol e Luciano Henrique na armação, na função que seria de Giovanni. No ataque, tirou Cláudio Pitbull para escalar Basílio ao lado de Geílson, na busca de maior velocidade para o setor. O Santos não terá também a dupla de zaga titular (Ávalos em Luís Alberto, contundidos) e Halisson e Rogério estão escalados Com Basílio e Geílson, ele espera resolver os problemas do ataque."No treino, tivemos movimentação boa, maior posse de bola no ataque e os dois vão jogar", disse Nelsinho, confirmando que Pitbull ficará no banco. "O importante é a movimentação dos dois atacantes, mais do Luciano Henrique, que está fazendo também um trabalho de penetração na área".Pelo menos a equipe funcionou bem, entende Nelsinho Baptista. "Os laterais chegaram bem pelos lados, tivemos boa posse de bola, fizemos as viradas de jogo como temos pedido. A equipe trabalho mais com a bola e não cedeu contra-ataque para nossa equipe B".O treinador santista teve trabalho não só para montar a equipe, mas também para não deixar que os problemas extra-campo conturbasse o ambiente entre os jogadores. "Trabalhamos para conseguir nosso objetivo dentro de campo, mas essas notícias, essas liminares mexem com o trabalho, Por isso, focamos bem a parte técnica dentro de campo, procurando aliviar um pouco esses problemas".Lembrando que "o futebol é um esporte, não uma guerra", Nelsinho Baptista defendeu a punição para os culpados por essa onda de violência praticada fora de campo. "O torcedor, a família, as pessoas não podem ficar à mercê de quem só quer baderna".Clássico - Se o Santos vai jogar bastante desfalcado, o mesmo deve acontecer com o São Paulo, que vai poupar jogadores. Para Nelsinho Baptista, o adversário "não vai entrar tão fraco assim, porque tem um elenco de qualidade, com jogadores jovens que estão querendo provar que podem ir para o Japão disputar o Mundial". Por conta disso, recomendou atenção especial de seus atletas para conseguir a vitória que dê início à nova meta: conseguir seis vitórias nas dez partidas que faltam para ficar com a vaga para a Libertadores.O capitão Ricardinho admite que o objetivo do time atualmente é chegar à competição latina e comenta a situação do Santos no Brasileiro: "Não é fácil porque estamos acostumados a disputar títulos. Estamos numa posição desconfortável porque os líderes se distanciaram muito e agora vamos brigar pela Libertadores. Essa é a nova realidade".O fato de o São Paulo jogar com um time misto não é sinal de menosprezo ao Santos, na opinião de Ricardinho. Ele lembrou que o Santos fez isso no ano passado contra esse mesmo adversário. "Não é menosprezo, é uma simples questão de planejamento da equipe", comentou.Ricardinho evitou falar sobre os problemas extra-campo que tanto agitaram o CT Rei Pelé desde que o STJD anunciou a anulação do clássico contra o Corinthians, disputado em 31 de julho e contaminado pelo escândalo da Máfia do Apito. Para ele, o que todos têm de fazer é pensar exclusivamente no jogo contra o São Paulo para conseguir a vitória. "Não cabe à gente justificar um mau resultado com as coisas que aconteceram fora de campo. Elas são lamentáveis, mas temos de vencer e, para o grupo, é só isso que conta".

Agencia Estado,

21 de outubro de 2005 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.