Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Santos vive expectativa de saída de Leão

O Santos vai viver momentos de expectativa amanhã em relação ao futuro do técnico Leão, pois os comentários hoje eram de que, independente do resultado do jogo contra a LDU, o clube iria mudar de treinador. Os comentários eram de que Luxemburgo iria assumir o comando da equipe na sexta-feira, dirigindo a equipe sábado contra o Juventude. Mas isso depende da vontade de Marcelo Teixeira, que vem recebendo pressão por parte dos demais dirigentes e de conselheiros para afastar Leão. Quando o treinador colocou seu cargo à disposição depois da derrota por 3 a 1 para o Cruzeiro no domingo, não havia como aceitá-la, pois o time viajaria em seguida para o Equador. O auxiliar de Leão, Pedrinho Santilli, é um dos maiores amigos do técnico e não comandaria o time se o titular estivesse fora. Dessa forma, o presidente Marcelo Teixeira nem pensou na hipótese de afastá-lo naquela hora. O ambiente ficou ruim para Leão desde que o time foi desclassificado do Paulista e acabou piorando nos últimos dias. A descontração, que era uma característica do CT Rei Pelé, foi substituída pela cara fechada dos jogadores, que já não brincam como antes. A torcida também rompeu o longo período de apoio ao time e, domingo, começou a cantar o refrão: "Leão, pede demissão".Atacantes - Nos dois últimos jogos, o Santos não tinha atacante nem para escalar no time principal e Leão teve de fazer adaptações com os meias. Mas a partir de sábado esse problema não mais existirá, uma vez que Deivid foi contratado e vem treinando no CT Rei Pelé. Basílio, que estava contundido, também está pronto para jogar. Na semana que vem, será a vez de Leandro Machado ser liberado pelos médicos. Deivid revelou hoje que está pronto para assumir o comando do ataque santista, uma posição que desde a saída de Alberto e Ricardo Oliveira é um dos maiores problemas da equipe. "É uma responsabilidade grande, mas quando saí daqui para o Corinthians não foi diferente: substitui o Luizão e consegui dar conta do recado". Lembrou que quando foi para o Cruzeiro teve a mesma responsabilidade. "Agora, espero novamente dar conta do recado e fazer os gols que sempre fiz". O centroavante tem visto pela TV os jogos do Santos e comentou que "o time tem jogado bem, mas falhado muito nas conclusões". Ele acha que tudo é uma questão de trabalho e de tranqüilidade para que os gols saiam. E não teme a sina dos atacantes santistas, como Alberto e Ricardo Oliveira, que demoram para fazer o primeiro gol. "A gente sempre quer marcar gols, mas se eu ficar quatro jogos sem deixar o meu como fiquei uma vez no Corinthians e logo depois fiz quatro, para mim está bom demais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.