Epitacio Pessoa|Estadão
Epitacio Pessoa|Estadão

São Bento tem jogo decisivo para chegar à Série B do Brasileirão

Sorocaba já respira a possibilidade de festa pelo acesso e sonha com a elite do futebol nacional

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2017 | 07h06

Bandeiras azuis enfeitam fachadas de prédios e cobrem os vidros laterais de carros nas ruas de Sorocaba, cidade de 660 mil habitantes, no interior de São Paulo. O tradicional São Bento, fundado há 104 anos, está a um passo de garantir seu acesso à Série B do Campeonato Brasileiro.

No jogo de volta, hoje, em casa, contra o sergipano Confiança, às 19h, no Estádio Walter Ribeiro, o São Bento pode até perder por um gol de diferença – em Aracaju, a equipe paulista ganhou por 2 a 0.

O acesso coroaria uma ascensão meteórica do clube que, há duas temporadas, estava fora das competições nacionais. Em 2016, com o quinto lugar no Paulista, o São Bento obteve o direito de disputar a Série D. No mesmo ano, ascendeu para a Série C. Agora, está com um pé na B. Tudo isso para um time que, há dez anos, estava afundado em dívidas e corria o risco de fechar suas portas.

“A reformulação na gestão e a chegada do técnico Paulo Roberto mudaram a cara do São Bento e trouxeram de volta a confiança do torcedor”, diz Rosa Ramalho, uma das quatro irmãs Ramalho, torcedoras-símbolo do clube de Sorocaba.

O ex-jogador carioca Paulo Roberto Santos comandou o São Bento na A-1 do Paulista de 2015. Saiu após livrar a equipe do rebaixamento na última rodada. Após passagem pelo Guarani, em 2016 ele foi recontratado. “O São Bento não é um time tocado por empresários, é a cidade que toca com a ajuda de um conjunto de patrocinadores. Fica mais fácil para o treinador trabalhar assim”, diz. Ele lembra que o time se recuperou de um início ruim no ano e fez campanha “irrepreensível” até agora, na Série C, com nove vitórias, sete empates e três derrotas. Com dez gols sofridos, tem a melhor defesa do torneio.

Seu desafio é manter o time focado no jogo de hoje. Paulo Roberto blindou o elenco, fechando os últimos treinos à imprensa. A concentração, normalmente de 24 horas antes do jogo, foi estendida para 48 horas. “O psicológico é essencial. O clima de ‘já ganhou’ é da torcida e não pode afetar o grupo.” Ele segue a cartilha dos bons treinadores. O atacante Emerson Cavalo, autor do primeiro gol no duelo de ida, fala em jogo duro. “O Confiança não chegou a essa fase por acaso.” O volante Fábio Bahia aposta que o rival virá com formação diferente, na tentativa de surpreender.

A campanha do São Bento empolga. Os nove mil ingressos foram vendidos – três mil já no primeiro dia. Sãobentistas já sonham com a Série A, onde o time nunca esteve. O jogador Falcão, ídolo do futsal e que mora em Sorocaba, divulgou mensagem de apoio ao clube. “Domingo é dia de Bentão, rumo à Série B. Vou estar com a seleção, mas quero ver o resultado. Vamos lotar o estádio e ajudar o São Bento a subir... Rumo à Série A.”

O ator global Paulo Betti, que viveu a infância em Sorocaba, também deu força aos jogadores do clube. “Alô torcida do São Bento, queria desejar ao nosso time muita força no jogo contra o Confiança, e vamos para Série B. Eu quero ver o time jogando aqui no Rio, no Maracanã!”

Cem jogos. Paulo Roberto completa 100 jogos à frente do “Azulão” hoje. Ele pede calma. Sete atletas estão pendurados com dois amarelos e podem desfalcar a equipe adiante. Os quatro semifinalistas sobem para a Série B.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.